China consegue reabastecer seu laboratório espacial pela primeira vez

Pequim, 27 abr (EFE).- O cargueiro espacial chinês "Tianzhou-1", lançado no último dia 20 de abril, conseguiu nesta quinta-feira pela primeira vez reabastecer com combustível o laboratório orbital "Tiangong-2", um teste importante para que China estabeleça uma futura estação permanente no cosmos.

A China se transformou assim no terceiro país do mundo, depois de Rússia e Estados Unidos, capaz de efetuar este tipo de manobra de abastecimento de combustível no espaço, destacou a agência de notícias oficial "Xinhua".

A operação demorou cinco dias e foi completada às 19h07 (horário local, 8h07 de Brasília), depois que o "Tianzhou-1" se acoplou ao laboratório espacial no último sábado.

Na atual missão, o cargueiro espacial voltará a se desprender do "Tiangong-2" para voltar a acoplar-se por um ângulo diferente no mês de junho e testar de novo o abastecimento, tudo com o objetivo de avaliar o programa espacial chinês para a futura estação espacial permanente.

Tal estação, culminação de um programa de voos tripulados que a China idealizou em 1992 (embora os primeiros astronautas do país só tenham viajado ao cosmos em 2003), será colocada em órbita por volta de 2022, e poderia eventualmente converter-se na única em funcionamento, uma vez que a Estação Espacial Internacional será "aposentada" em 2024. EFE