China construirá segundo hospital para tratar pacientes com coronavírus

O Globo e agências internacionais

PEQUIM - A cidade chinesa de Wuhan, epicentro de um novo coronavírus, construirá um segundo hospital "em duas semanas" para tratar os doentes deste patógeno, informou neste sábado o "Jornal do Povo".

De acordo o veículo estatal, o novo centro terá capacidade para 1.300 leitos, que serão adicionados aos 1.000 planejados em um primeiro hospital de emergência, cuja construção em 10 dias foi anunciada na sexta-feira.

O vírus já matou 26 pessoas na China e infectou mais de 800, segundo informações do governo nesta sexta-feira. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença é uma emergência no país, mas "ainda é cedo" para decretar estado de emergência global. A maioria dos casos está concentrada em Wuhan, de onde o vírus teria começado a se propagar no final do ano passado. Nos Estados Unidos, o segundo caso foi confirmado. No Nepal também há contágio, e já são 11 países atingidos pelo vírus.

O hospital anunciado na sexta-feira está sendo construído em torno de um complexo de lazer originalmente destinado a trabalhadores locais, situado em um jardim à beira de um lago nos arredores da cidade, informou o jornal 'Changjiang Daily'.

Na noite desta quinta-feira, chegaram ao local 35 escavadeiras e 10 tratores para preparar as novas instalações em tempo recorde, acrescentou o jornal. Os edifícios pré-fabricados, com mil leitos, já estão sendo erguidos .