China critica nova travessia de navio de guerra dos EUA pelo Estreito de Taiwan

·1 minuto de leitura
Bandeiras da China e dos EUA

PEQUIM/TAIPÉ (Reuters) - A China acusou os Estados Unidos nesta quarta-feira de serem os maiores "criadores de risco" de segurança da região depois que um navio de guerra norte-americano atravessou a rota marítima sensível que separa Taiwan da China.

A Sétima Frota da Marinha dos EUA disse que o USS Curtis Wilbur, contratorpedeiro antimísseis teleguiados da classe Arleigh Burke, realizou uma "travessia de rotina pelo Estreito de Taiwan" de acordo com a lei internacional na terça-feira.

"O trânsito do navio pelo Estreito de Taiwan demonstra o compromisso dos EUA com um Indo-Pacífico livre e aberto."

O Comando do Teatro Leste do Exército de Libertação Popular disse que suas forças monitoraram a embarcação durante sua passagem e a alertaram.

"O lado dos EUA está usando os mesmo truques de sempre intencionalmente e criando confusão e transtornando as coisas no Estreito de Taiwan", disse.

Isto "demonstra plenamente que os Estados Unidos são os maiores criadores de risco para a segurança regional, e nos opomos resolutamente a isto".

O Ministério da Defesa de Taiwan disse que o navio rumou para o norte pelo estreito e que a "situação está normal".

O mesmo navio cruzou o estreito um mês atrás, levando a China a acusar os EUA de ameaçarem a paz e a estabilidade.

A missão mais recente ocorre cerca de uma semana depois de Taiwan dizer que 28 aeronaves da Força Aérea chinesa entraram em sua zona de identificação de defesa aérea, a maior incursão já relatada.

(Por Ben Blanchard e redação de Pequim)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos