China diz que equipe da OMS chegará na quinta-feira para avaliar origens da Covid-19

·1 minuto de leitura
Logo da OMS do lado de fora da sede da entidade em Genebra

PEQUIM (Reuters) - Uma equipe de especialistas internacionais da Organização Mundial da Saúde (OMS) encarregada de investigar as origens da pandemia de Covid-19 chegará à China em 14 de janeiro, disseram autoridades chinesas nesta segunda-feira.

A falta de autorização de Pequim atrasou a chegada da equipe de 10 pessoas em uma missão há muito esperada para avaliar as primeiras infecções, no que o Ministério das Relações Exteriores da China chamou de "mal-entendido".

A Comissão Nacional de Saúde, que anunciou a data de chegada, atrasada em relação ao cronograma do início de janeiro, não detalhou o itinerário da equipe.

O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, celebrou a notícia.

"Esperamos trabalhar juntamente com nossos colegas (chineses) nesta missão crucial para identificar a fonte do vírus e sua rota de introdução à população humana", escreveu Tedros no Twitter.

Ele disse anteriormente que tinha ficado "muito desapontado" quando especialistas tiveram sua entrada negada no início deste mês, forçando dois membros da equipe a voltar atrás.

A China foi acusada de encobrir a pandemia, o que teria atrasado sua resposta inicial, permitindo que o vírus se propagasse desde que surgiu pela primeira vez na cidade central de Wuhan, no final de 2019.

(Reportagem de Gabriel Crossley e Emma Farge em Genebra)