China diz que pico da Covid teve mais de 7 milhões de casos e 4.000 mortes por dia

Equipe de saúde atende paciente de Covid-19 em hospital de Meishan, na China

HONG KONG (Reuters) - As infecções diárias por Covid-19 na China atingiram um pico de mais de 7 milhões por volta de 22 de dezembro, enquanto as mortes chegaram a um pico de mais de 4.000 por dia em 4 de janeiro, informou o Centro para Controle e Prevenção de Doenças do país nesta quarta-feira.

Os números, publicados no site do centro, vêm depois que um importante cientista do governo disse no fim de semana que 80% da população de 1,4 bilhão da China já foi infectada, tornando remota a possibilidade de uma grande volta da Covid-19 nos próximos dois ou três meses.

"Por volta de 22 de dezembro de 2022, o número de pessoas infectadas e o número de consultas ambulatoriais de febre atingiram um pico", afirmou o centro, com o número de novas infecções "superando 7 milhões por dia e o número de consultas ambulatoriais diárias de febre em 2,867 milhões".

A China passou a fase de pico de pacientes com Covid em clínicas de febre, salas de emergência e com condições críticas, disse uma autoridade da Comissão Nacional de Saúde na semana passada.

Quase 60.000 pessoas com Covid morreram no hospital até 12 de janeiro, cerca de um mês depois que a China desmantelou abruptamente sua política rígida de Covid zero, de acordo com dados do governo.

Mas alguns especialistas disseram que esse número provavelmente subestima muito o impacto total, pois exclui aqueles que morrem em casa e porque muitos médicos disseram que são desencorajados a citar a Covid como causa da morte.

(Reportagem de Farah Master, em Hong Kong, e da Redação Pequim)