China diz que Taiwan é "andarilha" que um dia voltará ao lar

·1 min de leitura
Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi

PEQUIM/TAIPÉ (Reuters) - Taiwan é uma "andarilha" que acabará voltando para casa e não uma peça de xadrez com a qual se jogar, disse o principal diplomata do governo da China nesta segunda-feira, provocando uma refutação contundente do governo da ilha.

A China reivindica Taiwan, que tem um governo democrático, como seu próprio território, tendo intensificado a pressão militar e diplomática nos últimos dois anos para afirmar seus clamores de soberania, o que causa revolta em Taiwan e uma preocupação profunda nos Estados Unidos.

Falando em Pequim, o conselheiro do Estado e ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, disse que a causa das tensões atuais são as tentativas do governo taiwanês de "contar com os Estados Unidos para a independência", e os EUA e outros países tentarem "usar Taiwan para controlar a China".

"São estas ações perversas que mudam o status quo e minam a paz no Estreito de Taiwan, violando o consenso da comunidade internacional e as normas básicas das relações internacionais", disse Wang, ex-chefe do Escritório Chinês para Assuntos de Taiwan.

Em resposta a isso, a China adotou "contramedidas vigorosas" para "abalar a arrogância" daqueles que buscam a independência formal de Taiwan, disse ele.

"Taiwan é uma andarilha que acabará voltando para casa, não uma peça de xadrez a ser usada por outros. A China precisa ser e será reunificada", acrescentou.

O Conselho de Assuntos Continentais, órgão que formula as políticas de Taiwan para a China, disse em resposta que a ilha nunca fez parte da República Popular da China.

(Reportagem Redação Pequim; reportagem adicional de Ben Blanchard, em Taipé)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos