China e Rússia estreitam laços

China e Rússia estreitam laços

A China e a Rússia prometeram aprofundar a cooperação bilateral entre os dois países.

Numa videoconferência, os presidentes chinês, Xi Jinping, e russo, Vladimir Putin saudaram o reforço dos laços entre Pequim e Moscovo no meio daquilo a que chamaram "tensões geopolíticas" e uma "situação internacional difícil", tendo Putin expressado o desejo de alargar a colaboração militar.

"Claro, a cooperação militar e técnico-militar, que contribui para garantir a segurança dos nossos países e manter a estabilidade em regiões-chave, ocupa um lugar especial em toda a gama de cooperação russo-chinesa e nas nossas relações. O nosso objetivo é reforçar a cooperação entre as forças armadas da Rússia e da China", sublinhou o chefe de Estado russo.

Putin convidou o homólogo chinês para visitar Moscovo na primavera. Xi Jinping acredita que entraram agora numa nova era das relações bilaterais.

O líder chinês acredita que "sob a nossa liderança conjunta, a parceria abrangente China-Rússia e a interação estratégica na nova era está a mostrar maturidade e resiliência. O potencial interno e os valores especiais da cooperação bilateral estão a fazer-se sentir cada vez mais. Vários projetos conjuntos em setores prioritários estão a ser implementados de forma constante".

Pequim que prometeu uma amizade "sem limites" com Moscovo, tem-se recusado a criticar a invasão da Ucrânia pela Rússia, culpando a NATO e os Estados Unidos da América por terem provocado o Kremlin. Insurgiu-se, também, contra as sanções do Ocidente contra a Rússia.

Por seu lado, a Rússia, tem apoiado as pretensões da China em relação a Taiwan.