China entregará dois milhões de máscaras à UE

O lote de um milhão de máscaras foi enviado por avião, via Bélgica

A China enviará mais de dois milhões de máscaras à União Europeia (UE) para combater o novo coronavírus, anunciou a chefe da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, quando a Europa se tornou o epicentro da pandemia.

"Concordamos que a luta contra o coronavírus é global e devemos nos ajudar nesses tempos difíceis", disse Von der Leyen em uma transmissão de vídeo nas redes sociais, depois de conversar com o primeiro-ministro chinês Li Keqiang.

O material entregue "em breve" incluirá 2 milhões de máscaras cirúrgicas, 200.000 máscaras N-95 e 50.000 testes de triagem, disse o presidente da Comissão, que lembrou as 50 toneladas de material médico que a UE enviou à China em janeiro.

O grupo chinês de comércio online Alibaba também enviou máscaras através de sua fundação para Itália, Espanha e França, os três países europeus com o maior número de infecções e mortes relacionadas ao Covid-19.

A Europa, com 3.421 mortes, ultrapassou a Ásia (3.384), onde o surto começou em dezembro. Desde então, a pandemia matou mais de 8.000 pessoas e se espalhou para mais de 200.000 em todo o mundo, de acordo com os balanços da AFP com base em dados oficiais.

Ursula von der Leyen garantiu que a Europa aumentará a produção de máscaras, algo que levará "várias semanas", e expressou "apreço" à China por sua "ajuda".