China está tendo "enorme progresso" na vacinação de idosos, diz OMS

Vacinação contra Covid-19 em Xangai

GENEBRA (Reuters) - A diretora de imunização da Organização Mundial da Saúde elogiou a China nesta sexta-feira por fazer progressos rápidos na vacinação de idosos com doses primárias e de reforço da Covid-19 desde o abandono das medidas antivírus no mês passado.

A população da China de 1,4 bilhão de pessoas foi amplamente protegida da doença desde que o vírus surgiu na cidade de Wuhan no final de 2019. Desde que as restrições foram suspensas em dezembro, o país registrou um aumento nos casos, embora as autoridades digam que o pico foi atingido.

"A China está fazendo um enorme progresso e esforço para chegar a todos os adultos mais velhos com doses primárias e doses de reforço", disse Kate O'Brien, da OMS, em coletiva de imprensa em Genebra.

No entanto, ela acrescentou que alguns idosos acharam "difícil" entender as mudanças em sua política de vacinação, pois já haviam sido aconselhados a não buscar proteção.

No mesmo briefing, O'Brien disse que a agência de saúde da ONU planeja trabalhar em esforços de recuperação para lidar com a falta de vacinações de rotina, como para malária e outras doenças. Desde o início da pandemia, mais de 50 milhões de crianças não receberam vacinações de rotina, acrescentou.

Questionada se ela tinha preocupações sobre vacinas para outras doenças na China devido aos altos casos de Covid-19, ela disse que não há dados recentes disponíveis em meio a um retrocesso global nos relatos.

"Esperamos realmente que nossos colegas chineses informem regularmente sobre a cobertura vacinal de rotina à medida que passam por esse período difícil", disse ela.

(Reportagem de Emma Farge)