China faz história em novo envio de astronautas para Tiangong

Taikonautas antes do lançamento: China realizará primeira troca em órbita de tripulação da Tiangong de sua história (VCG/VCG via Getty Images)
Taikonautas antes do lançamento: China realizará primeira troca em órbita de tripulação da Tiangong de sua história (VCG/VCG via Getty Images)
  • Está será a primeira vez que o país realizará uma troca de tripulação em órbita;

  • China desenvolveu sua própria estação espacial, a Tiangong, após recusa para se juntar à ISS;

  • Esta também será "a última missão dedicada à construção", afirmou a agência espacial do país.

Nesta última terça-feira (29), a China realizou o lançamento de três novos astronautas em direção à sua estação espacial, Tiangong. O ato é um marco na história do desenvolvimento da exploração espacial do país, que realiza a primeira troca de tripulação em órbita da história do país.

Atualmente há duas estações espaciais em órbita, a Tiangong e a ISS, ou Estação Espacial Internacional. Ao contrário da sua versão chinesa, a ISS é uma iniciativa multinacional criada através de esforços americanos e russos em 1998. Além de ambas potências, a Estação Espacial Internacional também é operada por outros 11 países europeus, Canadá e Japão.

No entanto, como a estação já tem 24 anos, a agência espacial russa Roscosmos anunciou que irá abandonar o projeto e lançar a sua própria, a Ross. Segundo Yuri Borisov, diretor-geral da agência, hoje a ISS se tornou um grande risco aos cosmonautas do país, que passam mais tempo consertando falhas do que de fato realizando experimentos.

De acordo com a agência de notícias chinesa Xinhua, a espaçonave Shenzhou 15 foi impulsionada por um foguete Longa-Marcha 2F, decolando às 23h8min no horário local (12h8min em Brasília), a partir do centro espacial de Jiuquan, no deserto de Gobi, localizado no noroeste chinês.

Horas depois, os taikonautas, como também são conhecidos os astronautas chineses, chegaram a Tiangong. Por agora eles irão coabitar com três outros colegas, dois homens e uma mulher, que foram ao espaço na missão anterior, Shenzhou 14. Dentro de alguns dias os tripulantes antigos voltarão à Terra, marcando a primeira vez que a CMSA, agência espacial chinesa dedicada à voos espaciais humanos, realizará uma troca de tripulação em órbita.

A missão Shenzhou 15 será "a última dedicada à construção", afirmou a CMSA. A China lançou a Tiangong no espaço pela primeira vez em 2011, após os Estados Unidos terem rejeitado sua participação na ISS.

Desde então o país vem adicionando novos módulos e equipamentos à estação. Com um tamanho aproximado à antiga estação espacial soviética Mir, espera-se que ela tenha uma vida útil de 10 anos.