China importa volume recorde de petróleo da Rússia, que supera Arábia Saudita como maior fornecedor chinês

XANGAI – A China importou um recorde de US$ 7,47 bilhões em petróleo bruto da Rússia em maio – US$ 1 bilhão a mais do que em abril e quase o dobro do comprado em igual período do ano passado – em meio às sanções que impedem a venda do produto russo para países ocidentais, por causa da Guerra na Ucrânia.

Este ano, as importações chinesas de petróleo russo já subiram 80%, chegando a US$ 10,27 bilhões. Só de petróleo bruto, foram 8,42 milhões de toneladas, ou 55% mais do que no ano passado.

Com isso, a Rússia superou a Arábia Saudita como maior fornecedor de petróleo para China, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo governo chinês.

As compras chinesas de gás natural liquefeito (GNL) russo subiram 54%, e isso já excluindo as importações via gasodutos, que estão interrompidas desde o início do ano. No carvão, os embarques russos para a China aumentaram 5,2%. O carvão do tipo usado para a indústria siderúrgica teve avanço ainda maior: 70%.

Além de insumos energéticos, a China ampliou fortemente a compra de outras matérias-primas russas. O aumento foi de 15% no cobre refinado e de 19% no paladium.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos