China minimiza preocupação da OMS sobre atraso na viagem de equipe do coronavírus

·1 minuto de leitura
Porta-voz do Ministéro das Relações Exteriores da China Hua Chunying durante entrevusra coletiva em Pequim

PEQUIM (Reuters) - A China minimizou na quarta-feira a preocupação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre um atraso na autorização para visita de uma equipe de especialistas que investiga as origens do novo coronavírus, dizendo que os arranjos estão sendo acertados.

O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse na terça-feira que estava "muito decepcionado" com o fato de a China não ter autorizado a entrada da equipe para a investigação, que ele afirmou ser uma prioridade da OMS.

O novo coronavírus foi detectado pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan no final de 2019 e, desde então, se espalhou pelo mundo.

Muito permanece desconhecido sobre suas origens e a China tem sido sensível a qualquer sugestão de que poderia ter feito mais nos estágios iniciais para conter a pandemia.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Hua Chunying disse em uma entrevista coletiva em Pequim que o problema "não era apenas sobre vistos" para a equipe.

Questionada sobre relatos de que as datas foram acordadas, ela afirmou que houve um "mal-entendido" e que os dois lados ainda estavam em discussões sobre o momento e outras providências e "permanecem em comunicação estreita".

"Não há necessidade de exagerar na interpretação", acrescentou ela.

(Reportagem de Gabriel Crossley)