China pressiona EUA para cancelar tarifas em teste de compromisso bilateral

·1 minuto de leitura

Por David Lawder e Michael Martina e Engen Tham

WASHINGTON (Reuters) - A China disse neste sábado ter pressionado os Estados Unidos a eliminarem tarifas nas negociações entre as principais autoridades comerciais dos dois países, o que Washington viu como um teste para o acordo bilateral entre as maiores economias do mundo.

As conversas virtuais entre a representante comercial dos EUA Katherine Tai e o vice-premiê da China Liu He seguem o anúncio de Tai na segunda-feira de que ela buscaria conversas "francas" e manteria a China em seus compromissos sob um acordo comercial de "Fase 1" negociado pelo ex-presidente Donald Trump.

"O lado chinês negociou o cancelamento de tarifas e sanções e esclareceu sua posição sobre o modelo de desenvolvimento econômico e as políticas industriais da China", disse a agência de notícias estatal chinesa Xinhua após as negociações, realizadas na sexta-feira, horário de Washington.

Tai pretendia usar a chamada, a segunda entre as duas, para testar se o compromisso bilateral pode atender às reclamações dos EUA sobre as práticas de comércio e subsídios de Pequim, disse um funcionário do USTR, representação comercial dos EUA.

"A embaixadora Tai e o Vice-Premier Liu analisaram a implementação do Acordo Econômico e Comercial EUA-China e concordaram que os dois lados consultariam sobre certas questões pendentes", disse o USTR em um comunicado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos