China proíbe Serviço Mundial da BBC por 'grave violação' de diretivas oficiais

·1 minuto de leitura
A BBC World News foi tirada do ar na China após reguladores do país informarem que a rádio e televisão havia violado seriamente as diretrizes de transmissão

A agência chinesa dos meios de comunicação anunciou, nesta quinta-feira (11), a proibição do Serviço Mundial da BBC por "grave violação" das diretrizes oficiais sobre a cobertura jornalística desse país.

A emissora britânica havia emitido em 3 de fevereiro um relatório contendo testemunhos chocantes de tortura e violência sexual contra mulheres uigures em campos de detenção chineses.

O serviço de notícias da emissora britânica violou "a exigência de que o jornalismo seja verdadeiro e justo" e também de "não prejudicar os interesses nacionais da China", explicou a agência que administra a imprensa, a TV e a rádio.

Por isso, a agência "não permite que a BBC continue retransmitindo na China e não aceita a renovação de sua permissão anual", indicou o texto.

"Estamos decepcionados de que as autoridades chinesas tenham decidido seguir este caminho", manifestou-se uma porta-voz da organização britânica.

"A BBC é a emissora mundial mais confiável e informa em todo o mundo de forma justa, imparcial e sem medo ou favoritismos", acrescentou.

O governo britânico, por sua vez, qualificou a proibição chinesa como um "atentado inaceitável à liberdade de imprensa".

ec/ch/jz/mb/aa/mvv