China realiza mais exercícios militares perto de Taiwan durante visita de parlamentares dos EUA

Delegação parlamentar dos EUA visita Taiwan

Por Ryan Woo e Ben Blanchard

PEQUIM/TAIPÉ (Reuters) - Os militares da China disseram que realizaram mais exercícios perto de Taiwan nesta segunda-feira, depois que um grupo de parlamentares dos Estados Unidos visitou a ilha reivindicada pelos chineses e se encontrou com a presidente Tsai Ing-wen, que disse que seu governo está comprometido em manter a estabilidade.

Cinco parlamentares dos EUA, liderados pelo senador Ed Markey, chegaram a Taipé em uma visita não anunciada na noite de domingo, o segundo grupo de alto nível a visitar a cidade depois da presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, no início de agosto, o que desencadeou vários dias de jogos de guerra chineses.

A unidade militar chinesa responsável pela área adjacente a Taiwan, o Comando de Teatro Oriental do Exército de Libertação Popular, disse que organizou patrulhas conjuntas de prontidão de combate e exercícios de combate no mar e no espaço aéreo em torno de Taiwan nesta segunda-feira.

Os exercícios são "um forte impedimento para os Estados Unidos e Taiwan continuarem a fazer truques políticos e minarem a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan", acrescentou.

O Ministério da Defesa da China disse em um comunicado separado que a viagem dos parlamentares infringiu a soberania e a integridade territorial da China e "expõe totalmente a verdadeira face dos Estados Unidos como um sabotador da paz e estabilidade no Estreito de Taiwan".

"O Exército de Libertação Popular continua a treinar e se preparar para a guerra, defende resolutamente a soberania nacional e a integridade territorial, e vai esmagar resolutamente qualquer forma de separatismo de 'independência de Taiwan' e interferência estrangeira".

O comando do teatro afirmou que os exercícios ocorreram perto das ilhas Penghu, de Taiwan, que ficam no Estreito de Taiwan e abrigam uma importante base aérea, e mostrou um vídeo das ilhas feito por uma aeronave da Força Aérea chinesa.

Tsai, que recebeu os parlamentares em seu gabinete, disse que os exercícios da China afetaram muito a paz e a estabilidade regionais.

"Estamos engajados em estreita cooperação com aliados internacionais para monitorar de perto a situação militar. Ao mesmo tempo, estamos fazendo tudo o que podemos para que o mundo saiba que Taiwan está determinada a salvaguardar a estabilidade e o status quo no Estreito de Taiwan", afirmou ela, em imagens de vídeo fornecidas pelo gabinete presidencial.

O senador Markey disse a Tsai: "Temos a obrigação moral" de fazer tudo para evitar um conflito desnecessário... Taiwan demonstrou incrível contenção e discrição durante tempos difíceis".

O Ministério da Defesa de Taiwan disse que 15 aeronaves chinesas cruzaram a linha mediana do Estreito de Taiwan nesta segunda-feira, uma barreira não oficial, acrescentando que condena os novos exercícios da China e os enfrentará "calmamente".