China realizará 20º congresso do Partido Comunista a partir de 16 de outubro

Presidente da China, Xi Jinping

Por Tony Munroe e Yew Lun Tian

PEQUIM (Reuters) - O Partido Comunista da China realizará seu congresso quinquenal a partir de 16 de outubro, com Xi Jinping pronto para garantir um histórico terceiro mandato de liderança e consolidar seu lugar como o líder mais poderoso do país desde Mao Zedong.

O Politburo anunciou nesta terça-feira a data de início do congresso, que normalmente dura cerca de uma semana e acontece majoritariamente a portas fechadas no Grande Salão do Povo, no lado oeste da Praça da Paz Celestial, no centro de Pequim.

Xi, de 69 anos, tem consolidado o poder de forma constante desde que se tornou secretário-geral do partido há uma década, eliminando qualquer oposição faccional conhecida ao seu comando. Ele deve exercer um controle amplamente incontestável sobre as principais nomeações e diretrizes políticas em um congresso que muitos observadores da China comparam a uma coroação.

Apesar dos ventos contrários que tem abalado seu caminho para um terceiro mandato - de uma economia moribunda, pandemia de Covid-19 e raros protestos públicos a crescentes atritos com o Ocidente e tensões sobre Taiwan - Xi está prestes a garantir um mandato para perseguir sua grande visão de "rejuvenescimento da nação chinesa" nos próximos anos.

Desde que assumiu o poder, Xi, filho de um revolucionário comunista, fortaleceu o partido e seu papel na sociedade e eliminou espaço para dissidência.

Sob Xi, a China também se tornou muito mais assertiva no cenário global como líder do mundo em desenvolvimento e uma alternativa à ordem liderada pelos Estados Unidos pós-Segunda Guerra Mundial.

A provável ascensão de Xi para um terceiro mandato de cinco anos, e possivelmente mais, foi definida em 2018, quando ele eliminou o limite de dois mandatos para a Presidência.

Com poucas mudanças esperadas na direção política ampla, os principais resultados do Congresso girarão em torno do grupo que se junta a Xi no Comitê Permanente do Politburo e quem substitui o primeiro-ministro Li Keqiang, que deve se aposentar em março.

(Reportagem de Tony Munroe e Yew Lun Tian)