China registra maior número de casos de Covid-19 desde agosto e Pequim promete manter restrições

Fila para teste de Covid em Pequim

Por Liz Lee e Albee Zhang

PEQUIM (Reuters) - A China registrou a maior quantidade de casos diários de Covid-19 em dois meses e meio nesta quinta-feira, depois que a autoridade de saúde manteve sua política agressiva de contenção, diminuindo as esperanças dos investidores de um afrouxamento das restrições que atingem a segunda economia do mundo.

O país registrou 3.200 casos locais diários de Covid-19 nesta quinta-feira, a primeira contagem acima de 3.000 desde 17 de agosto.

As ações chinesas em baixa dispararam nesta semana com a especulação de que Pequim aliviaria sua política de Covid-zero, apesar do aumento do número de casos e das reiterações de uma postura que torna a China uma exceção após quase três anos do início da pandemia.

Com as restrições da Covid-19 atingindo as principais cidades, algumas das regiões mais ricas da China estão provando ser um empecilho para a recuperação, relatando um crescimento mais lento do que a economia nacional nos três primeiros trimestres, mostraram dados divulgados na quarta-feira.

Investidores que tinham esperanças de que o Congresso do Partido Comunista no mês passado marcasse a flexibilização da política de Covid-zero ficaram desapontados quando Xi Jinping, que garantiu um terceiro mandato de liderança, reiterou a validade da abordagem.

Em seus primeiros comentários após o congresso, a Comissão Nacional de Saúde disse na quarta-feira que as autoridades estão se esforçando para controlar um surto repentino de Covid-19 o mais rápido possível. O país deve se ater inabalavelmente à política restritiva de Covid-zero, afirmou a comissão.

(Reportagem de Liz Lee e Albee Zhang; Reportagem adicional das redações de Pequim e Xangai)