China rejeita plano da OMS para estudar origem da Covid-19

·1 minuto de leitura
Vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, Zeng Yixin

Por Gabriel Crossley

PEQUIM (Reuters) - A China rejeitou nesta quinta-feira um plano da Organização Mundial de Saúde para uma segunda fase da investigação da origem do coronavírus, que inclui a hipótese de que ele teria escapado de um laboratório chinês, afirmou uma importante autoridade sanitária.

A OMS este mês propôs uma segunda fase de estudos sobre as origens do coronavírus na China, incluindo auditorias de laboratórios e mercados na cidade de Wuhan, pedindo transparência das autoridades.

"Não aceitaremos tal plano de rastreamento de origens como esse porque, em alguns aspectos, ignora o bom senso e desafia a ciência", disse o vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde, Zeng Yixin, a repórteres.

Zeng disse que ficou surpreso ao ler pela primeira vez o plano da OMS porque ele lista a hipótese de que uma violação de protocolo em um laboratório chinês teria causado o vazamento do vírus durante pesquisas.

O líder da OMS disse neste mês que as investigações sobre a origem da pandemia de Covid-19 na China estavam sendo prejudicadas pela falta de dados brutos dos primeiros dias da disseminação naquele país.

Zeng reiterou a posição da China de que alguns dados não podem ser completamente compartilhados por questões de privacidade.

(Por Gabriel Crossley e Stella Qiu)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos