China se prepara contra eventuais desvios de fundos imobiliários da Evergrande, diz mídia

·1 minuto de leitura

PEQUIM (Reuters) - Diversos governos locais na China criaram contas especiais de custódia destinada aos projetos imobiliários da principal incorporadora do país, e hoje bastante endividada, a Evergrande, para evitar que os fundos destinados aos projetos habitacionais sejam desviados, disse o veículo de imprensa local Caixin.

Com dívidas de 305 bilhões de dólares, a Evergrande perdeu o prazo de pagamento de títulos de dívida em dólar na semana passada, e o silêncio da empresa sobre o assunto fez os investidores globais se perguntarem se terão que engolir grandes perdas quando o período de carência de 30 dias se encerrar.

As contas especiais de custódia foram abertas no final de agosto em pelo menos oito províncias onde a Evergrande tem projetos mais inacabados, disse o veículo chinês neste domingo, citando uma fonte próxima à equipe de gerenciamento da empresa.

Entre as províncias, estão Anhui, Guizhou, Henan, Jiangsu e cidades ao sul do Delta do Rio das Pérolas, acrescentou.

As contas de custódia visam garantir que os pagamentos daqueles que adquirem imóveis sejam usados para concluir os projetos habitacionais da Evergrande, e não desviados para outro lugar, como para credores, disse o Caixin.

Em algumas cidades do sul, como Zhuhai e Shenzhen, os escritórios do regulador habitacional, o Ministério da Habitação e Desenvolvimento Urbano-Rural, também estiveram envolvidos na supervisão e revisão do uso de recursos pelos projetos da Evergrande, disse.

A Evergrande e o Ministério da Habitação não responderam aos pedidos de comentários.

(Por Cheng Leng, Yilei Sun e Ryan Woo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos