China venceu batalha de inteligência artificial com EUA, diz ex-chefe de software do Pentágono

·1 minuto de leitura
Veículo de entrega autônomo é apresentado em feira mundial sobre inteligência artificial em Xangai

LONDRES (Reuters) - A China está vencendo a batalha de inteligência artificial (IA) com os Estados Unidos e ruma para o domínio global graças aos seus avanços tecnológicos, disse o ex-chefe de software do Pentágono ao Financial Times.

Segunda economia do mundo, a China provavelmente dominará muitas das principais tecnologias emergentes, particularmente a IA, a biologia sintética e a genética, dentro de cerca de uma década, de acordo com avaliações de inteligência ocidentais.

Nicolas Chaillan, primeiro chefe de software do Pentágono a renunciar para protestar contra o ritmo lento da transformação tecnológica dos militares dos EUA, disse que a incapacidade de reagir está colocando seu país em risco.

"Não temos uma chance competitiva de lutar contra a China dentro de 15 a 20 anos. Neste momento, já é assunto encerrado, já terminou, na minha opinião", disse ele ao jornal. "Se vai precisar de uma guerra ou não é meio anedótico."

A China ruma para dominar o futuro do mundo, controlando desde as narrativas da mídia à geopolítica, disse ele.

Chaillan culpou a inovação arrastada, a relutância de empresas norte-americanas como o Google para trabalhar com o Estado em IA e os debates éticos prolongados a respeito da tecnologia.

Empresas chinesas, segundo Chaillan, são obrigadas a trabalhar com o governo e estão fazendo um "investimento maciço" em IA sem se importar com a ética.

(Por Guy Faulconbridge)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos