Chinês compra terreno de 56 mil hectares nos EUA

·1 minuto de leitura
Intenção inicial era a construção de um parque eólico. Foto: Getty Images.
Intenção inicial era a construção de um parque eólico. Foto: Getty Images.
  • O magnata Sun Guangxin desembolsou cerca de US$ 110 milhões para a aquisição

  • Proximidade do empreendimento com uma base militar chamou a atenção de políticos

  • Intenção inicial era a construção de um parque eólico

O misterioso bilionário chinês Sun Guangxin tem chamado atenção nos Estados Unidos após arrematar um terreno de 56 mil hectares no estado do Texas. Com uma área equivalente a quase metade da cidade do Rio de Janeiro, o empreendimento foi adquirido por cerca de US$ 110 milhões — R$ 585 milhões.

O propósito divulgado por Sun para o terreno era a construção de um parque eólico. Como o rio Devils cruza a área, o negócio do empresário chinês começou a chamar a atenção de ambientalistas da entidade Devils River Conservation (RDC). Após a aquisição em 2016, o grupo explicou que a preocupação inicial era com a conservação de espécies ameaçadas de extinção no Devils. Entretanto, a proximidade com a Base Aérea de Laughlin alarmou os especialistas.

Leia também:

O RDC alertou que havia grande preocupação quanto à segurança nacional, devido ao quão perto o terreno estava da base militar e da rede elétrica texana operada pela empresa Ercot. Após avisos sobre a possibilidade de interrupções do fornecimento de eletricidade e até mesmo ciberataques, parlamentares como Ted Cruz e Will Hurd pediram que o Tesouro americano investigasse o parque eólico.

Sun Guangxin fez fortuna na China após deixar o exército. Nascido em 1962, investiu em segmentos como o setor gastronômico, perfuração de petróleo e imóveis. Estima-se que o patrimônio de Sun ronde os US$ 2,1 bilhões.

As informações são da Forbes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos