Chinesa JD.com diz que o pior já passou para demanda do consumidor

(Reuters) - A empresa de comércio eletrônico JD.com divulgou nesta sexta-feira que teve aumento de 11,4% na receita do terceiro trimestre, superando estimativas de analistas. O resultado foi impulsionado por medidas de isolamento social na China, que levaram mais consumidores a compras online.

O presidente-executivo da JD.com, Xu Lei, disse em teleconferência com analistas que a empresa viu sinais de recuperação do consumo, auxiliada por novas regras que flexibilizaram as restrições contra Covid que vinham frustrando a população.

"O pior momento basicamente acabou", disse ele.

Algumas categorias de produtos afetados pela pandemia, incluindo cosméticos e smartphones, tiveram uma melhora nas vendas recentemente, disse ele.

A empresa de pesquisa TH Data Capital observou que o crescimento das vendas na JD.com em setembro foi melhor do que em julho e agosto, impulsionado principalmente por eletrônicos de consumo, eletrodomésticos e produtos de giro rápido.

A receita cresceu para 243,5 bilhões de iuans (34,21 bilhões de dólares) nos três meses encerrados em 30 de setembro, em comparação com estimativa média do mercado compilada pela Refinitiv, de 242,81 bilhões de iuans.

O rival Alibaba teve crescimento de receita de 3% nos três meses encerrados em 30 de setembro.

O lucro líquido trimestral da JD.com foi de 6 bilhões de iuans, em comparação com um prejuízo de 2,8 bilhões no ano anterior.

Excluindo itens pontuais, a JD.com teve lucro equivalente a 6,27 iuans por ADS, superando as expectativas de 4,44 iuans.

(Por Eva Mathews e Sophie Yu)