Chuva na Austrália ajuda bombeiros, mas não apaga todos os incêndios

Por Karl MALAKUNAS
1 / 2
Helicóptero dos bombeiros sobrevoa área em Nova Gales do Sul

Pelo segundo dia consecutivo, fortes chuvas caíram na Austrália nesta sexta-feira (17), dando trégua aos bombeiros exaustos que combatem os incêndios que devastam o sudeste do país.

Ainda há vários focos de incêndio fora de controle.

Os incêndios começaram em setembro, sem precedentes por sua magnitude e duração. Deixaram 28 mortos, destruíram centenas de casas e mataram mais de 1 bilhões de animais.

Além disso, a Austrália perderá bilhões de dólares em receitas de turismo. Por causa dos incêndios, muitos visitantes estrangeiros cancelaram suas viagens ao país.

O número de turistas caiu entre 10% e 20% desde setembro, com um custo para a economia de 4,5 bilhões de dólares australianos (US$ 3 bilhões), de acordo com o Conselho Australiano de Exportação de Turismo (ATEC).

A temporada de incêndios na Austrália foi agravada pelo clima particularmente quente e pela ausência de chuva nos últimos meses neste imenso país, devido às mudanças climáticas.

Nesta sexta-feira (17), as chuvas mais intensas em dez anos caíram em algumas das regiões próximas aos incêndios mais importantes, uma "excelente notícia", segundo o Corpo de Bombeiros Rural de Nova Gales do Sul.

Cerca de 30 incêndios seguem fora de controle, porém, uma situação semelhante à registrada na quinta-feira, acrescentou a mesma fonte. Dezenas de incêndios também estão ativos no estado vizinho de Victoria.

A chuva não caiu na Ilha Kangaroo, um verdadeiro santuário para uma fauna e flora excepcionais, localizada ao sul, na costa de Adelaide.

As chamas devastaram o parque nacional desta ilha, matando grande parte da população de coalas e ameaçando erradicar completamente algumas espécies de pássaros e marsupiais.

Em meio a esse cenário de devastação, a perspectiva de um clima mais úmido no leste e no sul da Austrália nos próximos dias dão esperanças de uma melhora.

- Coalas resgatados da chuva -

Muitos dos animais afetados tiveram seus hábitats destruídos. Desta forma, especialistas alertam para o risco de extinção de algumas espécies.

Os famosos coalas concentram grande parte da atenção do mundo, e as fotos desses animais salvos das chamas se espalharam rapidamente pelas redes sociais.

Na manhã desta sexta-feira, alguns coalas e outros animais do parque de répteis da Austrália, na costa leste de Nova Gales do Sul, tiveram de ser resgatados das águas.

"É incrível, na semana passada tivemos reuniões diárias sobre o perigo iminente dos incêndios", disse o diretor do parque, Tim Faulkner.

"Hoje, toda equipe está no terreno, encharcada, lutando para proteger os animais e proteger o parque da água. Não temos inundações assim há 15 anos", acrescentou.

Essas chuvas torrenciais são uma faca de dois gumes.

De fato, a água pode complicar a intervenção dos caminhões de bombeiros, forçados a se aventurarem em estradas lamacentas, alertaram as autoridades.

Desde o início dos incêndios, uma área de 100.000 quilômetros quadrados - maior do que a superfície da Coreia do Sul - foi devastada pelo fogo.

A imensidão dessa destruição é um dos exemplos catastróficos das mudanças climáticas, que o planeta enfrenta cada vez mais frequentemente, segundo os cientistas.