Réveillon: Zona Norte celebra chegada de 2022 com queima de fogos no Parque Madureira

·3 min de leitura

RIO — Os moradores da Zona Norte do Rio celebraram a chegada de 2022 com uma queima de fogos no Parque Madureira, com 15 minutos de duração. A concentração maior do público começou após as 23h. Muita gente preferiu acompanhar tudo de suas casas, em alguns casos nas lajes e terraços, literalmente de camarote. No ano passado, por conta da pandemia, o parque ficou fechado. Nos anos anteriores, o local recebia grandes shows na data.

Com trégua da chuva, o local ficou cheio, mas não chegou a lotar. Quem esperou pelos fogos disse que valeu a pena. A atendente de loja Ana Luiza Vasconcellos disse que aproveitaria o momento do espetáculo de luzes para fazer um pedido especial:

— Vou pedir pela saúde de todo mundo da minha família e para que os caminhos de nossas vidas sejam tão iluminados quando as luzes destes lindos fogos que brilharão no céu — disse.

Veja fotos da chegada de 2022 no Rio

Abraçado à namorada Monique Alves, o ajudante de cozinha Wanderson Souza esperava pelos fogos desejando mais oportunidades de trabalho.

— Passei um período sem trabalhar durante a pandemia. Melhorou, mas as oportunidades ainda são poucas. Não apareceu nada fixo que dê mais segurança. Acredito que 2022 possa melhorar, mas temos que ter atenção na hora de votar. Quem prometeu e não fez não merece mais chance — afirmou.

Muitos que chegaram cedo ao parque para assistir aos fogos foram aguardar o show pirotécnico ou a chuva passar em bares próximos. No da comerciante Roberta Correia Jaime, que fica em frente ao local onde estava sendo montada a estrutura para os fogos, a expectativa era de que mais gente chegasse na hora da virada.

— Recebi bastante mercadoria e coloquei muita cerveja para gelar. Teve gente que já passou antes e levou para casa. No ano passado, não tivemos festa nenhuma. Esse ano, apesar das restrições, termos a queima de fogos novamente o que já é um alívio — comemora Roberta, que está confiante para 2022.

Contagem regressiva: saiba todos os detalhes do réveillon de Copacabana, que terá pegada digital e manifesto à vida lido por Teresa Cristina

A comerciante sonha com o fim da pandemia, para que a vida volte logo à normalidade:

— Ano passado tínhamos a pandemia. Este ano, ela ainda não acabou, mas temos a vacina. Já melhorou. Quero que essa pandemia termine e a gente possa voltar a viver como antigamente. Tenho fé que em 2022 a gente supera tudo isso — almeja.

Interdições:Rio tem três pontos de bloqueios para impedir entrada de veículos fretados para o réveillon

Morador de Madureira, o advogado Jeferson Figueiredo assistiu à queima de fogos do Parque Madureira com a esposa Maria Aparecida Figueiredo e os dois filhos em uma mesa reservada no bar da Roberta para a hora da virada.

— Mesmo morando aqui perto, a vista daqui é melhor — conta.

Com restrição à música ao vivo imposta pela prefeitura, dois quiosques que funcionam dentro do parque estavam com os rádio ligado e é onde se concentrou o maior número de pessoas. O público começou a chegar ao local em maior quantidade depois das 21h, quando também começou a montagem dos fogos. Algumas crianças ansiosas pelo show pirotécnico soltam bombinhas no pátio que fica entre os quiosques.

A esteticista Jane Figueiredo foi assistir à queima de fogos com a familia e preferiu levar seu cooler. Ela diz que foi difícil garantir um local para se abrigar da chuva.

— A maioria das áreas cobertas aqui são do quiosque, reservadas para quem está consumindo. Nós preferimos trazer as bebidas porque é bem mais econômico. Meu Instagram vai bombar mais do que se eu estivesse ido para Copacabana — acredita.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos