Chuva em MG: em alerta para as próximas 48h, estado tem 60ª morte confirmada

Pedro Medeiros*

RIO — A Defesa Civil de Minas Gerais confirmou, nesta quarta-feira, a 60ª morte em decorrência das fortes chuvas que atingem todo o estado. O ocorreu na cidade de Caxambu, no Sul do estado. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), devido a uma frente fria, é esperada mais chuva na região que compreende o Triângulo Mineiro, Zona da Mata, Sul e Oeste, além da Região Metropolitana de Belo Horizonte nas próximas 48h.

Sandra Regina Parede, de 58 anos, foi soterrada no bairro Santa Tereza, em Caxambu. Segundo a prefeitura, a mulher morreu enquanto tentava salvar um tanquinho de lavar roupas após a casa em que ela morava ter sido interditada. No intervalo da equipe da Defesa Civil ter saído do local para buscar equipamentos, a moradora retornou à residência e aconteceu o deslizamento.

A cidade com mais mortes neste período foi Belo Horizonte. Foram contabilizadas 13 perdas na capital mineira, 12 delas morreram em deslizamentos e desabamentos nos bairros Vila Bernadete, Região do Barreiro, e Jardim Alvorada, na Pampulha.

O Poder Público pede que, caso solicitado, as pessoas saiam das áreas de risco e não retornem até que haja permissão dos órgãos competentes.

Atualmente no estado, existem 26.299 desalojados e 7.581 desabrigados. Sessenta e oito pessoas ficaram feridas.

Levando em consideração o início deste período chuvoso, desde outubro de 2019, são 71 mortes em Minas, conforme a Defesa Civil.

Segundo a Defesa Civil, 196 cidades estão em situação de emergência em Minas. A medida vale por 180 dias e possibilita ações mais céleres para a recuperação dos estragos e auxílio à população. Todos os órgãos estaduais estão autorizados a atuar nos trabalhos sob coordenação da Defesa Civil de MG.

(*Estagiário sob supervisão de Daniel Biasetto)