Chuvas causadas pelo Eta trazem lagoas desaparecidas de volta a Honduras

·1 minuto de leitura
Vista da Lagoa Jucutuma, que ressurgiu em San Pedro Sula após a passagem do Eta
Vista da Lagoa Jucutuma, que ressurgiu em San Pedro Sula após a passagem do Eta

As fortes chuvas causadas pelo ciclone Eta, que deixou mais de 60 mortos em Honduras, fizeram ressurgir lagoas que haviam desaparecido devido às mudanças climáticas no norte do país, anunciaram autoridades locais nesta quarta-feira.

A cheia dos rios Chamelecón e Ulúa, que inundou os arredores de San Pedro Sula, a 180 km de Tegucigalpa, causou mortes e destruição, mas também recuperou lagoas daquela área. As pastagens e plantações de milho, no entanto, foram eliminadas pelas inundações.

As cheias formaram espelhos d'água azuis, lembrando a aparência das lagoas três anos atras, antes de serem atingidas por uma seca severa e por diques contruídos por empresários para irrigar plantações em áreas vizinhas. 

"As lagoas se recuperaram, mas às custas do sacrifício das pessoas", que morreram ou perderam suas casas no vale de Sula, assinalou Manuel Iraheta, chefe da Unidade Ambiental da prefeitura de Choloma, comunidade vizinha a San Pedro Sula.

Iraheta anunciou que o governo local colocará em prática um plano para garantir a sobrevivência das lagoas, mas advertiu que, para isso, será necessário um projeto grande. Sua esperança é de retorno das aves migratórias que posam anualmente na região das lagoas quando percorrem o continente.

Francisco Chinchilla, presidente da comunidade de San José del Boquerón, vizinha à lagoa Jucutuma, alertou que de nada servirá a recuperação se não houver a proteção das lagoas. "Somente um temporal como esse poderia recuperar as lagoas, mas, até março, teremos apenas poças se elas não forem protegidas", advertiu, lamentando que muitos tenham ficado desabrigados e sem ajuda do governo.

A passagem do Eta pela América Central deixou mais de 200 mortos ou desaparecidos e afetou milhares de pessoas, após o fenômeno tocar a terra na Nicarágua, no último dia 3, como furacão de categoria 4.

nl/mas/rs/lb