Ciclista que teve pés amputados em Araçatuba confundiu explosivo com celular

·1 minuto de leitura
Explosivo utilizado no ataque em Araçatuba - Foto:  Divulgação/Gate PM SP
Explosivo utilizado no ataque em Araçatuba - Foto: Divulgação/Gate PM SP
  • Rapaz teve os dois pés amputados pela explosão causada por artefato deixado pelos criminosos

  • A vítima de 25 anos confundiu o explosivo com um um celular

  • Ele foi submetido a cirurgia para correções nas áreas amputadas e segue internado

O rapaz que teve os pés amputados pela explosão causada por explosivos deixados pela quadrilha que promoveu uma madrugada de terror em Araçatuba, na última segunda-feira, confundiu o artefato com um celular.

De acordo com informações do G1, levantadas junto à Santa Casa, onde o homem de 25 anos está internado, a confusão fez com que a vítima sofresse também graves ferimentos nas mãos.

Leia também:

O rapaz foi socorrido após a explosão e encaminhado ao hospital. Ele precisou ser submetido a uma cirurgia para correção das áreas atingidas pelas amputações nos dois pés.

Ainda segundo a Santa Casa, não houve necessidade de amputar os dedos das mãos, apesar dos profundos cortes sofridos. O rapaz também teve estilhaços retirados de todo o corpo, especialmente das pernas.

O homem continua internado na Santa Casa. Outras quatro pessoas ficaram feridas a bala durante a megaoperação criminosa e também foram levadas ao hospital.

Entenda o crime

Araçatuba, no interior de São Paulo, viveu madrugada de terror nesta segunda-feira (30). Uma quadrilha fortemente armada atacou três agências bancárias no centro da cidade. Três pessoas morreram, de acordo com a Polícia Civil: dois moradores e um dos criminosos.

Depois de atacar os locais, o grupo abordou pedestres e os fez de reféns. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram algumas vítimas sendo usadas como "escudo humano". Há também registros de tiros sendo disparados pelos criminosos, que também cercaram bases da Polícia Militar e viaturas.

De acordo com o G1, o grupo teria utilizado até um drone para monitorar a ação dos policiais. Entradas da cidade foram fechadas para dificultar o acesso de reforço policial ao local.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos