Cid Moreira lança podcast e dá dicas de séries e filmes para assistir na quarentena

Carolina Nalin

Esbanjando vitalidade e bom humor. É assim que Cid Moreira, aos 92 anos, enfrenta o período de isolamento social. Seguindo à risca as recomendações da Organização Mundial da Saúde, o jornalista passa a quarentena com a mulher, Fátima Sampaio, em seu sítio na região serrana do Rio, dividindo-se entre os projetos profissionais e as atividades físicas.

— Tenho buscado levar a vida da forma mais normal possível. Faço meu pilates três vezes por semana e esteira todo dia — conta.

Há menos de um mês, o ex-apresentador do “Jornal Nacional” lançou o podcast “Bom dia, Cid”, um programa diário matinal com reflexões sobre a vida e o período de isolamento social. Nos episódios com cerca de três minutos, palavras de sabedoria e fé ecoam pelo timbre grave e inconfundível de quem não perde a esperança. Ao lado de Fátima, também jornalista, cria o roteiro e escolhe os temas do canal.

— Considero o podcast um presente, um trabalho muito bonito no meio de toda essa tristeza da pandemia. É uma oportunidade de ser útil, levando alívio e esperança, enquanto tantos estão preocupados em como vão lidar com as contas. Sou um privilegiado! — constata.

Para o veterano do telejornalismo brasileiro, trabalho não falta mesmo em casa. Além do podcast, Cid mantém um canal no YouTube com conteúdo que vai desde a declamação de poemas, leitura da Bíblia até resenhas de séries e receitas na cozinha.

— Estou gostando muito de declamar os grandes poetas. Também estou gravando o meu livro “Boa noite, Cid”, em primeira pessoa — conta ele, que tem mais de 741 mil seguidores no Instagram.

Ainda sobre os tempos de pandemia, Cid destaca a relevância do jornalismo.

— Fundamental! Precisamos nos informar com jornalistas tradicionais de credibilidade. Acontece que o excesso de informações desencontradas deixa todo mundo neurótico — reflete.

E, para ninguém se perder no emaranhado de notícias, incluir doses de leitura é uma das sugestões de Cid.

— É importante manter a cabeça ocupada com bons filmes u livros, se distrair cuidando da casa, aprender receitas novas, ajudar pessoas com outros assuntos... A leitura da Bíblia também ajuda muito. Vai passar — afirma.

 

Indicações de Cid

A série mergulha em sessões psicoterápicas e ganhou uma nova leva com 35 episódios no fim do ano passado. Estrelada por Selton Mello, a quarta temporada está disponível no Globoplay.

“TODAS AS MULHERES

Lançado em 1966, o filme de Domingos Oliveira é baseado nos contos de Eduardo Prado e virou série, disponível no Globoplay. “Ando muito emotivo (risos). Na verdade, Fátima que me indicou, mas o filme e a série são muito bons mesmo”, opina Cid.

 

Os dramas musicais de 1972 e 1952, respectivamente, também são recomendações de Cid. “Andei revendo velhos filmes clássicos. Curti demais a atuação de Liza Minnelli em ‘Cabaret’”, conta o jornalista.

Para quem tem fé desde pequeno, melhor que imaginar o futuro pós-pandemia é aproveitar as respostas da natureza no presente para refletir.

— Boa pergunta! Não sei (o que vai acontecer). Por um tempo ficaremos traumatizados, mas aos poucos a vida vai retornando. Gostaria que se pensasse na natureza que está se recuperando. Tudo tem seu lado positivo — pondera.