Cidadão americano detido na Coreia do Norte

Cidadão dos Estados Unidos teria sido preso no Aeroporto Internacional de Pyongyang

Um cidadão americano foi detido quando tentava sair da Coreia do Norte, o terceiro indivíduo dos Estados Unidos detido no país, informou neste domingo a agência sul-coreana de notícias Yonhap.

"Estamos a par da informação de que um cidadão dos Estados Unidos foi detido na Coreia do Norte", afirmou em Washington um funcionário do Departamento de Estado.

A detenção acontece em um momento de tensão entre Pyongyang e Washington.

De acordo com fontes da Yonhap, o homem, identificado como Kim, foi detido na sexta-feira no aeroporto internacional de Pyongyang, quando pretendia deixar o país.

Kim, com idade por volta de 50 anos e ex-professor na Universidade Chinesa de Ciência e Tecnologia de Yanbian, teve envolvimento com programas de ajuda para a Coreia do Norte

Esta pessoa estava no país para falar sobre atividades de assistência, de acordo com a Yonhap. Os motivos da detenção não foram divulgados.

Apesar da falta de uma confirmação oficial, o diretor do grupo World North Korea Research Center, que tem sede em Seul, indicou que suas fontes em Pyongyang confirmaram a detenção.

"A razão pela qual a Coreia do Norte não diz nada é porque ainda não terminou suas investigações", declarou à AFP Ahn Chan-il, um desertor do Norte.

"É importante para eles manter como refém um cidadão americano para advertir os Estados Unidos contra qualquer ação para acabar com Kim Jong-Un", completa Ahn, em referência aos temores do Norte de que Washington teria planos militares secretos para derrubar o líder norte-coreano.

Outros dois cidadãos americanos - o estudante Otto Warmbier e o pastor coreano-americano Kim Dong-Chul - estão detidos na Coreia do Norte, depois que foram condenados a longas penas de prisão por "espionagem" ou "crimes contra o Estado".