Cidadania decide afastar deputado que apalpou colega na Assembleia de SP

JOELMIR TAVARES
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Cidadania, partido do deputado estadual paulista Fernando Cury, decidiu nesta sexta-feira (18) afastá-lo das funções partidárias por ter apalpado no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo a deputada estadual Isa Penna (PSOL). A parlamentar o denunciou por assédio em discurso nesta quinta (17). A legenda informou que, enquanto durar o processo sobre o caso no conselho de ética da sigla, Cury ficará afastado "de todas as funções diretivas partidárias, em todas as instâncias, bem como de todas as funções exercidas em nome do Cidadania, inclusive junto à Assembleia". O conselho começará a avaliar o episódio nesta sexta, a partir de representação feita pelos presidentes nacional e estadual do Cidadania, o ex-deputado federal Roberto Freire e o deputado federal Arnaldo Jardim, respectivamente. "A decisão significa que, enquanto durar o processo, ele estará afastado de qualquer representação partidária, não falará em nome do partido", disse Freire à reportagem. Cury atualmente é vice-presidente estadual da legenda em São Paulo e ocupa vaga em três comissões parlamentares na Assembleia (Agricultura e Pecuária, Desenvolvimento do Interior e Geração de Empregos e Renda). Freire afirmou considerar a denúncia grave e disse que providências serão tomadas a partir do parecer do conselho de ética. "O estatuto prevê punições que vão até a expulsão, mas isso será decidido oportunamente. Tem que haver todo o cuidado que a lei exige", disse o dirigente. O regimento interno prevê que, a partir do recebimento da denúncia, Cury terá prazo de oito dias para apresentar defesa. O deputado negou ter cometido assédio e pediu desculpas à deputada. Isa também registrou boletim de ocorrência contra ele e fez uma representação ao conselho de ética da Assembleia. "É um momento de muito constrangimento. É lamentável e dolorido para a deputada [Isa] e para todo o mundo. É grave, atinge a família dos envolvidos, não é uma coisa simples", afirmou Freire. "Vai haver punição, isso não tem dúvida, mas isso será decidido quando o conselho de ética der o seu parecer." Na representação, os presidentes nacional e estadual pediram "urgência na apuração dos fatos, sem prejuízo do contraditório e da ampla defesa, considerando que a acusação refere-se a uma conduta absolutamente incompatível com os princípios defendidos pelo partido". A cúpula da legenda quer que o caso seja examinado com urgência. O núcleo feminino do Cidadania divulgou nota de solidariedade a Isa Penna, na qual afirmam que "é entristecedor ver um ato que assedia um corpo de mulher sendo explicitado numa das Casas do povo brasileiro". Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Cury não se manifestou sobre a decisão do partido.