Mais de 130 milhões de indianos retornam ao confinamento por foco de coronavírus

·1 minuto de leitura
Os transportes públicos serão suspensos e apenas os serviços e comércios essenciais poderão manter o funcionamento em Bangalore
Os transportes públicos serão suspensos e apenas os serviços e comércios essenciais poderão manter o funcionamento em Bangalore

Quase 133 milhões de indianos da grande cidade de Bangalore, no sul do país, e do estado de Bihar (norte) retornarão ao confinamento para conter a propagação do novo coronavírus, anunciaram nesta terça-feira as autoridades.

"O governo de Bihar decidiu um confinamento de 15 dias, de 16 de julho até 31 de julho", tuitou o vice-ministro cchefe do estado, Sushil Kumar Modi.

Após um confinamento rígido em escala nacional determinado no fim de março, a Índia suspendeu a medida no início de junho, mas novos confinamentos por cidades e regiões se multiplicam ao longo do país, onde a pandemia avança com força.

Mumbai e Nova Délhi eram até agora as maiores cidades afetadas pela pandemia, mas Bangalore, sul do país, sede das empresas de alta tecnologia indianas, surge também como um novo foco, com 19.702 casos confirmados até segunda-feira.

O governo local determinou o confinamento na cidade e distritos próximos a partir das 20H00 locais (11H30 de Brasília). A medida deve prosseguir até 23 de julho.

Os transportes públicos serão suspensos e apenas os serviços e comércios essenciais poderão manter o funcionamento.

O segundo país de maior população do planeta registra até o momento 23.727 mortes e 906.752 casos declarados de COVID-19, dados que registram uma forte aceleração. Os especialistas afirmam que o pico da epidemia ainda não aconteceu na Índia.