Cidade de SP cancela carnaval de rua de 2022; desfiles no Anhembi serão mantidos

·3 min de leitura
General view of the traditional Galo da Madrugada (Dawn Rooster) carnival parade along the streets of Sao Paulo, Brazil on February 25, 2020. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Último carnaval de rua em São Paulo acontecem em 2020, antes de a OMS decretar o início da pandemia (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
  • Cidade de São Paulo cancelou o carnaval de rua de 2022

  • Desfiles de escolas de samba no Anhembi devem ser mantidos, mas com protocolos mais rígidos

  • Prefeitura ainda vai se reunir com a Liga das Escolas de Samba para definir novos protocolos

A cidade de São Paulo não terá carnaval de rua em 2022, em decorrência da variante Ômicron e o aumento do número de casos de covid-19. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (6) pelo prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), após reunião com especialistas e representantes da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde.

O carnaval no Sambódromo do Anhembi, por outro lado, será mantido pela gestão municipal. A ideia da prefeitura é fazer uma reunião com a Liga das Escolas de Samba para estabelecer protocolos mais rígidos para a realiação do evento. 

"Por conta da situação epidemiológica está cancelado o Carnaval de Rua de São Paulo. Nós vamos sentar com a Liga das Escolas de Samba para combinar um protocolo para a realização dos desfiles no sambódromo. Caso eles aceitem os protocolos, os desfiles serão mantidos", afirmou Nunes. 

Desistência dos blocos

Na última quarta-feira (5), mesmo antes da decisão, 250 blocos de carnaval de rua divulgaram uma nota para informar que estavam desistindo do carnaval. 

“Lamentamos muito não termos tido a oportunidade de contribuir em ações públicas com nosso ‘expertise difuso’, que sabe quantos carnavais de rua existem dentro do Carnaval de São Paulo, e como fazer cada nicho ser atendido”, diz o texto. 

A nota foi assinada pelo Fórum de Blocos de SP, União dos Blocos de Carnaval de Rua do Estado de São Paulo (UBCRESP) e a Comissão Feminina de Carnaval de São Paulo.

Decisão das cidades 

O governo do estado de São Paulo afirmou que a decisão de manter ou cancelar o carnaval é das cidades. Mas, especialistas que orientam a gestão estadual se posicionaram contra a festa de rua

Para João Gabbardo, coordenador do comitê científico do estado, a realização de blocos é "impensável". Já os desfiles no Sambódromo foram comparados com os jogos de futebol, que já tem 100% da presença de público desde o mês de novembro.

"A gente tem colocado que o carnaval pode ser analisado em dois aspectos. Um são os desfiles das escolas de samba, em que é uma situação muito parecida com o que ocorre nos estádios de futebol, em que há a possibilidade de a gente ter controle neste ambiente. Controle exigindo que todos estejam vacinados, a orientação para que continuem utilizando máscaras, tanto para aqueles que estão assistindo e mesmo para quem está fazendo a apresentação - evidente que aí não precisa de máscara, mas que esteja vacinado", disse. Gabbardo levantou outra preocupação: o deslocamento das pessoas até o local do desfile, dentro do transporte público.

Em relação aos blocos, a opinião de Gabbardo é diferente. "Agora, o carnaval de rua, este nós não temos como fazer os controle", ponderou. "Não tem como a gente acompanhar se está vacinado, a aglomeração é imensa. Acho que isso, neste momento, é impensável."

Esta nota está em atualização

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos