Cidade de SP tem 200 mil pessoas com segunda dose de AstraZeneca atrasada

RIO DE JANIERO, BRAZIL - MAY 24: A public health worker prepares a dose of the AstraZeneca vaccine at a COVID-19 vaccination clinic at Museu da Republica (Museum of the Republic) on May 24, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. COVID-19 has claimed more than 1 million lives in Latin America and the Caribbean, with nearly half of those deaths in Brazil. Only three percent of the population of Latin America has been fully vaccinated against COVID-19. Health experts are warning that Brazil should brace for a new surge of COVID-19 amid a slow vaccine rollout and relaxed restrictions. The state of Sao Paulo has registered over 3 million cases of COVID-19 and more than 100,000 deaths. Nearly 450,000 people have died in Brazil by COVID-19, second only to the U.S. (Photo by Mario Tama/Getty Images)
Vacina da AstraZeneca está em falta em quase todos os postos da capital paulista (Foto: Mario Tama/Getty Images)
  • São Paulo já tem 200 mil pessoas com segunda dose da AstraZeneca atrasada

  • Cidade enfrenta desabastecimento de imunizantes da AstraZeneca ao longo da semana

  • Capital paulista espera receber novo lote de doses da vacina na segunda-feira (13)

A cidade de São Paulo tem 200 mil pessoas com a segunda dose da AstraZeneca atrasada, por causa da falta de imunizantes disponíveis na capital paulista. Quase nenhum posto está abastecido com a vacina AstraZeneca nesta sexta-feira (10).

Desde o começo da semana, a oferta de vacinas da AstraZeneca está baixa, mas ficou quase zerada nesta sexta. Agora, há a expectativa de que haja um reabastecimento na próxima segunda-feira (13).

Leia também

O governo do estado de São Paulo e o da capital responsabilizam o governo federal pela falta de doses e cobram um repasse do Ministério da Saúde.

Na manhã desta sexta, o prefeito da capital, Ricardo Nunes (MB), afirmou que a chegada de 340 mil doses de vacinas está em atraso. Para completar a imunização de toda a população até dezembro, a cidade precisa receber 1,7 milhão de doses do imunizante da AstraZeneca.

Agora, a prefeitura estuda a possibilidade de utilizar doses da Pfizer para completar a imunização. O problema é que a vacina da Pfizer também está em falta – além de ser a única vacina que pode ser utilizada em adolescentes de 12 a 17 anos.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, o Ministério da Saúde deixou de entregar 1 milhão de vacinas que seriam usadas para a segunda em todo o estado. Já a pasta afirma que “não deve segunda dose de vacina Covid-19 da AstraZeneca ao estado de São Paulo” e alega que a falta de vacinas se deve à utilização de vacinas para aplicação de primeiras doses.

Atraso da Fiocruz 

No dia 2 de setembro, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que ficará duas semanas sem entregar ao Ministério da Saúde doses da vacina contra covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca e envasadas pela instituição. O motivo é o atraso na chegada de insumos.

Duas remessa do insumo farmacêutico ativo (IFA) chegaram ao Brasil nos dias 25 e 30 de agosto e um novo lote deve chegar nesta sexta-feira (3), depois do programado originalmente. Com a demora na chegada, as próximas entregas de lotes de vacina estão programadas apenas para a semana de 13 a 17 de setembro.

“Todo o processo, desde a chegada do insumo até a entrega da vacina, leva cerca de três semanas, incluindo o período de controle de qualidade das vacinas”, explicou a Fiocruz em nota.

“Todas as doses relativas ao lote de IFA recebido em 25/8 já foram produzidas e estão na etapa de controle de qualidade. Parte do lote recebido em 30/8 também já foi produzida. Neste momento, há 6,1 milhões de doses na etapa de controle de qualidade e o restante em produção”, acrescentou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos