Cidade na China confina 21 milhões após identificar 157 casos de Covid

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cidade de Chengdu, na China, anunciou nesta quinta-feira (1º) a imposição de lockdown para seus 21,2 milhões de habitantes em decorrência de um novo surto de Covid-19. Após o registro de 157 novas infecções, a metrópole amanheceu já com restrições de circulação —apenas uma pessoa por família terá permissão de sair de casa, mas só para comprar mantimentos.

O novo lockdown deve durar ao menos até o próximo domingo (4) e, nesse período, toda a população será submetida a testes de detecção do vírus.

Chengdu é a maior cidade chinesa a impor lockdown depois de Xangai, que tomou uma série de medidas para conter as infecções em abril e maio deste ano. Outras cidades como Shenzen, no sul, e Dalian, no nordeste, também adotaram medidas para frear o contágio, determinando o trabalho remoto e o fechamento de bares e locais de entretenimento.

Apesar de terem um prazo curto de duração, as ordens restringem as atividades de dezenas de milhões de chineses, acirrando o desafio de Pequim em diminuir os impactos econômicos da política de Covid zero.

A China é a última grande economia a manter estratégia rígida contra o vírus, baseada em quarentenas e testes obrigatórios. Embora os casos sigam reduzidos em relação à população do país, as autoridades insistem que a política é necessária para evitar uma calamidade nos serviços de saúde.