Cidade proíbe venda de chumbinho para evitar envenenamento de animais

Cidade espera aprovação do Executivo para proibir venda de chumbinho, um tipo de veneno (Foto: Getty Images)
Cidade espera aprovação do Executivo para proibir venda de chumbinho, um tipo de veneno (Foto: Getty Images)

A cidade de Tupi Paulista, em São Paulo, aprovou um projeto para proibir a venda e a comercialização do veneno “organofosforado carbamato”, mais conhecido como chumbinho. Segundo informações do portal g1, a aprovação entre os vereadores aconteceu nesta terça-feira (16) e, agora, a sanção vai para a prefeitura.

A exceção é para casos em que for apresentado um receituário, prescrito por profissionais habilitados. A lei ainda pode ser alterada pelo poder Executivo.

A proposta é da vereadora Joisiany Ceber Anselmi (União Brasil). O argumento é de que o chumbinho está sendo usado para matar cães e gatos por envenenamento na cidade.

“O delito é praticado com o uso de ‘chumbinho’, uma substância de venda teoricamente controlada, mas facilmente adquirida em lojas de produtos agropecuários em todo o país e, em algumas cidades, encontrada até mesmo em feiras livres e camelôs”, justifica a vereadora.

Joisiany argumentou ainda que humanos também morrem por intoxicação, mesmo que de forma acidental. Além disso, o chumbinho também é usado em tentativas de homicídio e suicídio.

“Toxicologistas alertam que o veneno não tem cheiro nem gosto, mas lesa o sistema nervoso central, causando transtorno neurológico, parada cardíaca e paralisia dos pulmões”, disse a vereadora.

Segundo o portal g1, quem compra a substância justifica o uso do veneno por causa de um suposto “incômodo” gerado por cães e gatos, ao atacarem pássaros e animais silvestres.