Cidade do Rio não vai antecipar dose de AstraZeneca para idosos e pessoas com comorbidades e avalia vacinar adolescentes em agosto

·4 minuto de leitura

Após a autorização do Governo Estadual do Rio de Janeiro para os municípios fluminenses anteciparem, caso desejem, a segunda dose do imunizante AstraZeneca contra a Covid-19, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, afirmou que a alteração não será feita no cronograma para idosos (a partir de 60 anos) e pessoas com comorbidades. Com a alteração entre o prazo de aplicação das doses — que passaria de 12 semanas para 8 semanas —, há perda de cerca de 20% de eficácia da vacina, segundo Soranz, o que poderia ser prejudicial num momento em que o país já teve identificado casos da variante Delta, inclusive dois recentemente no estado do Rio. Para a parcela da população mais jovem, o comitê científico da Prefeitura do Rio ainda avalia se haverá mudança no tempo entre as doses.

Na corrida para vacinar mais rapidamente a população carioca, a prefeitura também avalia antecipar o calendário para a imunização dos adolescentes — a partir dos 12 anos — para já ter início em agosto. A previsão oficial, até o momento, é que esse público alvo seja imunizado na primeira metade de setembro. Possíveis alterações no calendário devem ser anunciadas na coletiva de sexta-feira. No fim de semana, no entanto, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, já tinha deixado em aberto a possibilidade de acelerar as datas.

— No município do Rio de Janeiro a gente está acompanhando a bula da vacina e a recomendação do Ministério da Saúde. A vacina AstraZeneca tem 80% de eficácia quando você faz ela com 12 semanas ou mais. Quando você reduz para 8 semanas esse intervalo, a eficácia vai para 59%, a gente perde 20% de eficácia na proteção individual para aquela pessoa. Então, a gente ainda tá avaliando — disse Soranz, ao "Bom Dia Rio", na manhã desta terça-feira na inauguração do novo ponto de vacinação no Teatro Carlos Gomes.

A partir desses dados o município já definiu não fazer a antecipação da segunda dose para grupos prioritários:

— A gente sabe que não fará isso para quem tem mais de 60 anos e para pessoas com comorbidades. Nós manteremos o intervalo de 12 semanas para ganhar na eficácia da vacina. Isso é muito importante, seguir a bula. Pode ser que a gente pense em reduzir esse intervalo para a população um pouco mais jovens — adiantou o secretário de Saúde.

A Prefeitura do Rio irá avaliar uma possível mudança no planejamento junto ao comitê científico do município nas próximas semanas. A identificação de dois casos de infecção pela variante Delta confirmados recentemente no estado — um homem em São João de Meriti e uma mulher em Seropédica — reforça a necessidade de se buscar por maior eficácia dos imunizantes aplicados nos postos da cidade, reforça Soranz:

— A melhor coisa para combater a variante Delta é a gente ter uma vacina com maior eficácia. Então, reduzir o intervalo nem sempre é positivo, ainda mais quando a gente fala de populações mais idosas, como é a população que vai se vacinar agora nesse período.

Vacinação de adolescentes

O município ainda avalia antecipar o calendário de vacinação para os adolescentes. A cidade foi uma das primeiras a anunciar a imunização para este grupo. Recentemente, houve aceleração nas datas de atendimento para os adultos. Com isso, caso não haja interrupção no repasse de doses para a cidade, o cronograma previsto para a primeira metade de setembro para adolescentes de 12 a 17 anos poderá ser iniciado ainda em agosto.

— Também, de novo, o município do Rio de Janeiro saiu na frente e lançou o calendário para vacinar os adolescentes no mês de setembro. O prefeito Eduardo Paes antecipou o nosso calendário para meados de agosto e inclusive na sequência fazer a vacinação dos adolescentes, e a gente vai poder fazer muito mais detalhes ainda sobre o nosso calendário na coletiva de sexta-feira e ao longo dessa semana — disse Daniel Soranz.

Neste fim de semana, o governo de São Paulo anunciou a antecipação das datas e prevê imunizar todos os adultos do estado até 20 de agosto. São Paulo é o primeiro estado a apresentar um plano amplo de vacinação para os menores de 18 anos — a cidade do Rio já os incluiu no calendário e a faixa etária será atendida de 1º a 15 de setembro.

Por causa do anúncio de São Paulo, o prefeito Eduardo Paes usou as redes sociais para provocar o governador João Dória. Além de comentar que o Rio já havia programado em junho a vacinação para adolescentes a partir de 12 anos em setembro, Paes ainda deixou em aberto uma possibilidade de antecipar novamente o calendário:

"E o sujeito lá da terra da garoa achando que está inovando. Eu hein! Adolescentes vacinados já é notícia velha aqui. Anúncio feito em 18/06. Quanto a data... Bom... É só me aguardar", brincou Paes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos