Cientista baiano diz que sofreu ameaça de morte após reclamar de som alto de vizinho; vídeo

·1 min de leitura

RIO - O cientista baiano Gustavo Cabral, de 39 anos, usou as redes sociais para denunciar o som alto na casa de vizinhos, na cidade de Tucano no interior da Bahia, durante a madrugada deste sábado. De acordo com o líder do desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus no Departamento de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP), ele teria sido ameaçado de morte após a reclamação.

Na publicação feita pelo Instagram, o pesquisador diz que chegou a acionar a Polícia Militar para auxiliar no cumprimento da lei do silêncio, mas nada foi feito.

“4h30 da manhã e ninguém consegue dormir. E AINDA SOU AMEAÇADO DE MORTE, DE TOMAR UM TIRO! Vou reclamar e RESPONDERAM QUE COM QUEM TEM DINHEIRO NÃO SE RECLAMA! Começo a filmar e sou ameaçado de tomar um tiro. Isso tudo depois de ligar para polícia! Que não fez nada!” escreveu ele.

Em outro post, em que compartilhou um print, Gustavo diz que a festa tinha a presença do Secretário de Cultura, que estaria cantando no local.

“Afinal, quem são essas pessoas? De quem é essa casa, que o dono submete a sociedade a isso e ainda tem o "SECRETÁRIO DA CULTURA" da cidade cantando na festa?”

Em nota, a Polícia Militar informou que tomou conhecimento por volta de 7h12, deste sábado e que uma guarnição foi até o local para verificar o ocorrido. Segundo a PM, nem a vítima e nem os responsáveis pelo som alto foram encontrados.

O comandante do 5º BPM/Euclides da Cunha manteve contato com o cientista baiano Gustavo Cabral, por telefone, orientando-o a levar o fato ao conhecimento da prefeitura local, vez que ocorrência dessa natureza (poluição sonora) é competência do Poder Público local.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos