Cientista mexicano é condenado nos EUA por espionar para a Rússia

O cientista Hector Alejandro Cabrera Fuentes, de 37 anos, foi condenado, nesta terça-feira, a quatro anos de prisão nos Estados Unidos após ser acusado de ser um espião do governo russo no país. Em fevereiro deste ano, ele já havia se declarado culpado pelo crime.

Holanda: Espião russo se passou por brasileiro para tentar se infiltrar no Tribunal Penal Internacional

Aos 87 anos: Paleontólogo francês Yves Coppens, um dos descobridores de 'Lucy', morre na França

Vídeo: Prefeito de Nova York 'dá largada' para destruição de 100 motos por pá-carregadeira

— Eu sinto muito pelos meus erros. Todos nós cometemos erros na vida e este é o maior dos meus — disse Fuentes ao admitir a culpa no tribunal do distrito sul da Flórida, onde ocorreu o julgamento

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, Fuentes começou a atuar a mando do governo russo em 2019, quando foi recrutado por um funcionário do país. Ele foi instruído a alugar um apartamento em Miami.

Entre seus objetivos estava coletar informações acerca de um americano, residente na região, que trabalhava para o FBI e que já havia fornecido informações sobre o governo russo para os EUA . No celular de Fuentes, fotos da placa do carro do indivíduo foram encontradas pelas autoridades americanas, assim como trocas de mensagens do mexicano com o funcionário russo.

"A maneira como Fuentes se comunicou com o funcionário do governo russo e seus esforços neste caso são consistentes com as táticas dos serviços de inteligência russos para detectar, avaliar, recrutar e lidar com ativos e fontes de inteligência", disse o Departamento de Justiça em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos