Cientista russo que trabalhava na vacina da Covid-19 morre sob “circunstâncias estranhas” após queda de prédio

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Alexander Kagansky morreu no último sábado, após cair do 14º andar de um prédio em São Petersburgo. (Foto: Reprodução)
Alexander Kagansky morreu no último sábado, após cair do 14º andar de um prédio em São Petersburgo. (Foto: Reprodução)

Um cientista russo que trabalhava no desenvolvimento de uma vacina para a Covid-19 morreu no último sábado, após cair do 14º andar de um prédio em São Petersburgo.

Alexander Kagansky foi encontrado com marcas de facadas em seu corpo e usando apenas roupas íntimas, segundo o The Moscow Times.

A polícia abriu investigação de assassinato e deteve um amigo de infância de Kagansky, o jornalista Igor Ivanov, mas o liberou na última segunda-feira por falta de provas. As informações são do Moskovsky Komsomolets, que destacou as “circunstâncias estranhas” da morte.

De acordo com a investigação, o apartamento de onde Kagansky caiu é a residência de Ivanov, que teria recebido a visita do amigo para celebrar seu aniversário.

Leia também

Apesar dos indícios, Ivanov negou ter esfaqueado ou arremessado o amigo do 14º andar. Ele garantiu que preparava o café da manhã quando Kagansky pediu para usar o banheiro. Depois, o cientista teria agarrado a faca, se ferido e pulado.

A perícia da polícia russa investigará as circunstâncias das facadas e tentará determinar se Ivanov e Kagansky brigaram antes da morte do cientista. O jornalista ainda prestará depoimento com uso de detector de mentiras.

Kagansky era considerado um dos cientistas mais importantes da Rússia, com trabalhos de destaque nas universidades de Edimburgo, na Escócia, e Maryland, nos Estados Unidos. De volta ao país natal, ele vinha trabalhando nos últimos meses no desenvolvimento de uma vacina para o coronavírus na universidade federal de Vladvostok.