Cientistas australianos descobrem a maior planta do mundo, com 250 km² e 4,5 mil anos

Pesquisadores australianos anunciaram nesta quarta-feira a descoberta da maior planta do mundo. A erva marinha da espécie "Posidonia australis" foi localizada nas águas rasas e ensolaradas da Área de Patrimônio Mundial de Shark Bay, na Austrália, e ocupa uma área de 220 quilômetros quadrados, equivalente a 25 mil campos de futebol.

Suspeita de overdose: Ex-princesa do Catar é encontrada morta no sul de Espanha

Animal foi morto: Menina de 9 anos sobrevive a ataque de puma nos Estados Unidos

Além do tamanho, a planta chama a atenção pela resiliência. De acordo com o estudo, publicado na revista New Scientist, a erva marinha encontrada na Austrália tem pelo menos 4,5 mil anos. A estimativa de idade foi feita a partir da taxa de crescimento anual da espécie.

Os cientistas fizeram a descoberta a partir de 18 mil amostras da planta coletadas em dez locais diferentes nas duas enseadas de Shark Bay. Após as análises, os pesquisadores descobriram que nove amostras eram geneticamente idênticas.

22 mortos: Caixa-preta de avião que caiu no Nepal é recuperada

Família real: Príncipe Harry 'sente falta' do irmão, William, e quer voltar ao Reino Unido, diz ex-mordomo da princesa Diana

A semelhança indicava que elas pertenciam à mesma planta maciça, que deve ter começado a crescer em uma enseada, expandido e depois se espalhado para dentro da outra enseada.

— É o maior exemplo conhecido de clone em qualquer ambiente da Terra — disse Elizabeth Sinclair, da Universidade da Austrália Ocidental, uma das coautoras da pesquisa.

O recorde anterior era de outra erva marinha, a "Posidonia oceanica", que se estende por 15 quilômetros no Mar Mediterrâneo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos