Cientistas do CERN observam três partículas "exóticas" pela primeira vez

Vista do Grande Colisor de Hádrons perto de Genebra, na Suíça

GENEBRA (Reuters) - Cientistas que trabalham com o Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês) descobriram três partículas subatômicas nunca vistas antes enquanto trabalham para desbloquear os blocos de construção do universo, disse o centro europeu de pesquisa nuclear CERN nesta terça-feira.

O LHC de 27 quilômetros de comprimento no CERN é a máquina que encontrou a partícula do bóson de Higgs, que junto com seu campo de energia é considerado vital para a formação do universo após o Big Bang há 13,7 bilhões de anos.

Agora, cientistas do CERN dizem ter observado um novo tipo de "pentaquark" e o primeiro par de "tetraquarks", acrescentando três membros à lista de novos hádrons encontrados no LHC.

Eles ajudarão os físicos a entender melhor como os quarks se unem em partículas compostas.

Quarks são partículas elementares que geralmente se combinam em grupos de dois e três para formar hádrons, como os prótons e nêutrons que compõem os núcleos atômicos.

Mais raramente, no entanto, eles também podem se combinar em partículas de quatro e cinco quarks, ou tetraquarks e pentaquarks.

"Quanto mais análises realizamos, mais tipos de hádrons exóticos encontramos", disse o físico Niels Tuning em um comunicado.

"Estamos testemunhando um período de descoberta semelhante à década de 1950, quando um 'zoo de partículas' de hádrons começou a ser descoberto e, finalmente, levou ao modelo quark de hádrons convencionais na década de 1960. Estamos criando o 'zoo de partículas 2.0'", acrescentou.

(Reportagem de Michael Shields)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos