Cientistas descobrem lagarta capaz de decompor sacos plásticos

Foto: Pixabay/Skeeze

Cientistas europeus descobriram uma lagarta capaz de se alimentar de polietileno, largamente utilizado na produção de sacolas plásticas, e um dos principais vilões do meio ambiente por causa do longo tempo que leva para se decompor. 

Os resultados foram publicados na “Current Biology”. A Galleria mellonella, popularmente conhecida como traça da cera, é criada para servir como isca para peixes, mas vive como parasita em colmeias de abelhas. 

Foi justamente dessa experiência que, por acaso, a pesquisadora Federica Bertocchini, da Universidade de Cantabria, na Espanha, fez a descoberta. Ela, que é apicultora amadora, tirou as larvas de uma das colmeias e as colocou em uma sacola plástica.

Pouco tempo depois, Federica notou que buracos apareceram no saco. A cientista e os colegas Paolo Bombelli e Christopher Howe, da Universidade de Cambridge, experimentaram, então, colocar cem delas dentro de um saco plástico comum. Quarenta minutos depois, verificaram que os primeiros buracos começaram a aparecer.

Após doze horas de contato entre as lagartas e o material, os pesquisadores notaram que a sacola perdeu 92 miligramas de massa, um ritmo alto em comparação com uma espécie de bactéria , capaz de biodegradar o plástico a uma taxa de 0,13 miligrama por dia.

Os cientistas ainda não sabem muito bem o motivo pelo qual a lagarta é capaz de comer o plástico, mas suspeitam que a digestão da cera e do plástico envolve um processo químico parecido. 

A descoberta pode apontar um caminho para a criação de novas formas de biodegradar o plástico, uma vez que ele é altamente resistente.

De acordo com o estudo, o polietileno responde por 40% da demanda total por plástico na Europa. As pessoas ao redor do mundo usam cerca de um trilhão de sacolas plásticas anualmente.