Cientistas encontram bactérias que decompõem a nicotina

Um estudo publicado na prestigiada revista científica Nature descreve como um grupo de pesquisadores afiliados a várias instituições na China, trabalhando com um colega nos Estados Unidos, encontrou no intestino de camundongos uma bactéria que decompõem a nicotina. Os cientistas explicam no artigo como que a descoberta poderia reduzir a incidência de doença hepática gordurosa em humanos.

De olho no futuro: Cientistas descongelam 13 vírus de até 48 mil anos que estavam adormecidos na Sibéria

TikTok: Vídeos na rede ensinam tampar a boca com fita adesiva para dormir; prática é condenada por médica

Pesquisas anteriores mostraram que o cigarro é a principal causa de mortes evitáveis ​​em todo o mundo. Além de sua associação com doenças pulmonares, fumar também tem sido associado à doença hepática gordurosa. Nesse novo esforço, os pesquisadores descobriram que um certo tipo de bactéria decompõe a nicotina no intestino de camundongos (devido ao fumo forçado) e, assim, reduz a probabilidade de desenvolver doença hepática gordurosa .

Quando as pessoas fumam cigarros, parte da nicotina chega ao intestino, levando a um risco aumentado de doença hepática gordurosa, associada a lesões e, em alguns casos, câncer de fígado.

Neste novo trabalho, os pesquisadores mediram a quantidade de nicotina que chega ao intestino comparando amostras de fezes de 30 fumantes e 30 não fumantes. Eles então fizeram o mesmo com ratos e descobriram que os resultados eram semelhantes.

Imunizante de RNA mensageiro: Cientistas criam vacina universal para a gripe com 20 versões do vírus em estratégia para futuras pandemias

Em seguida, eles esterilizaram as entranhas de vários ratos de laboratório e realizaram o experimento da nicotina novamente. Eles descobriram que os camundongos com intestinos esterilizados tinham mais nicotina em seus sistemas, indicando que pelo menos um tipo de bactéria intestinal estava quebrando a nicotina. Então, pelo processo de eliminação, eles foram capazes de rastrear a bactéria Bacteroides xylanisolvens responsável pela redução — ela estava produzindo um tipo de enzima que quebra a nicotina.

Pesquisas anteriores mostraram que o B. xylanisolven também vive no intestino humano. A seguir, os pesquisadores planejam estudá-lo e as enzimas que ele produz para descobrir se a enzima pode ser produzida comercialmente e administrada a fumantes para reduzir suas chances de desenvolver doença hepática gordurosa e, por extensão, câncer de fígado.