Cientistas de programa balístico são recebidos como heróis em Pyongyang

Milhares de pessoas se aglomeram em Pyongyang para saudar os cientistas

Milhares de pessoas saíram às ruas de Pyongyang para saudar os cientistas do programa de mísseis balísticos nacional, de acordo com a imprensa oficial norte-coreana, cinco dias após o teste de um míssil de alcance aparentemente sem precedentes.

A Coreia do Norte reivindicou um um disparo bem sucedido no domingo de um novo tipo de míssil batizado Hwasong-12, assegurando que poderia carregar uma ogiva nuclear.

"Acolhida popular entusiasmada dos combatentes da ciência de defesa", era a manchete desta sexta-feira do Rodong Sinmun, órgão oficial do Partido dos Trabalhadores no poder, junto com uma foto de pessoas apresentadas como os pesquisadores norte-coreanos.

O Norte tem acelerado seus esforços para aperfeiçoar um míssil balístico intercontinental capaz de transportar uma ogiva nuclear até o território americano.

Rodong Sinmun elogia os pesquisadores responsáveis ​​pelo Hwasong-12 que mostraram à comunidade internacional "a força do poderoso Estado nuclear auto-suficiente".

As fotos mostram centenas de supostos pesquisadores em uniforme militar saudando as estátuas gigantes dos líderes falecidos Kim Il-Sung e Kim Jong-Il erguidas no centro da capital.

Outras mostram habitantes acenando bandeiras vermelhas e flores artificiais durante a passagem de um comboio de ônibus.

"Nas ruas da capital Pyongyang se respirava um ambiente festivo para cumprimentar os cientistas da defesa nacional", disse a agência oficial de notícias KCNA.

Pyongyang dispõe há tempos de mísseis que podem atingir alvos na Coreia do Sul (o Scud com um alcance de 500 km) e o Japão (o Rodong de 1.000 a 3.000 km).

Mas, com um alcance estimado em 4.500 km, o Hwasong-12 poderia atingir as bases americanas da ilha de Guam, no Pacífico.

Alguns especialistas duvidam da capacidade do Norte para miniaturizar suas armas nucleares e montá-las em mísseis balísticos. Para eles, não há nada que comprove que Pyongyang domina a tecnologia para que o míssil possa entrar na atmosfera.

KCNA assegurou, entretanto, que o último teste permitiu confirmar o domínio norte-coreano da tecnologia de orientação e entrada atmosférica. O Hwasong-12 é "capaz de transportar uma ogiva nuclear, grande e poderosa", acrescenta a agência de notícias oficial.