Cientistas revelam foto inédita de buraco negro no centro da Via Láctea

Uma equipe internacional de astrônomos anunciou, nesta quinta-feira (12), que conseguiu captar a imagem do buraco negro supermassivo localizado no centro da Via Láctea. O feito ocorre três anos depois de a imagem histórica de outro impressionante buraco negro ser feita na galáxia M87.

O projeto conhecido como EHT (Event Horizon Telescope) apresentou, em várias coletivas de imprensa simultâneas, a "silhueta" do buraco negro chamado Saggitarius A* em um disco luminoso de matéria. Esta imagem é semelhante à do gigantesco buraco negro na distante galáxia M87, muito maior que a Via Láctea e que o EHT divulgou em 2019.

Os cientistas acreditam que isso prova que os mesmos princípios da física operam no coração de dois sistemas de tamanhos muito diferentes. Tecnicamente, um buraco negro não pode ser examinado diretamente, já que o objeto é tão denso e sua atração gravitacional tão poderosa que nem mesmo a luz pode escapar de sua força de atração. Mas é possível detectar a matéria que circula ao seu redor, antes de ser engolida.

Os buracos negros são chamados de estelares quando têm uma massa equivalente a três vezes a do Sol, e classificados como supermassivos quando sua massa é equivalente a milhares, ou mesmo bilhões de sóis.

Sagittarius A* (Sgr A*) foi nomeado assim após ser detectado na direção da constelação de Sagitário. Ele tem uma massa de cerca de quatro milhões de sóis e está a cerca de 27.000 anos-luz da Terra.

"Isso prova que a (Teoria da) Relatividade geral se aplica" em ambos os casos, acrescentou.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Americana, alemão e britânico vencem Nobel de Física por pesquisas com buracos negros
Grande asteroide se aproxima da Terra, mas não há risco de colisão
Primeira imagem de um buraco negro comprova a existência do fenômeno cósmico

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos