Cigarros falsificados são apreendidos em lojas de conveniência de postos de gasolina no Rio

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) apreenderam, nesta terça-feira, cerca de 200 cigarros falsificados que eram vendidos em lojas de conveniência de postos de gasolina na cidade do Rio. Os agentes fiscalizaram quatro estabelecimentos — dois na Tijuca, um no Maracanã e um em Inhaúma — todos na Zona Norte do Rio.

Estatísticas: Estado do Rio registra mais de cem feminicídios em 2022, o maior número em seis anos

No Centro do Rio: Mulheres que mataram guia de turismo a facadas pediram ajuda a ex-marido de uma delas para fugirem

Durante a operação, foram apreendidos nos estabelecimentos diversos maços com indícios de falsificação de marcas famosas, vendidos por um preço abaixo do mercado. Um dos produtos apreendidos era anunciado a R$ 12, e o original custa, em média, R$ 15.

Promessa: Castro toma posse no Rio com promessa de 'ciclo virtuoso' na economia e prioridade no combate ao feminicídio

Os responsáveis pelos postos de gasolina foram conduzidos à delegacia para prestar esclarecimentos sobre a origem dos produtos comercializados e poderão responder por crime contra a propriedade industrial e contra a economia popular e relações de consumo.

Todo o material apreendido será encaminhado para a perícia e, posteriormente, será destruído.

Na Baixada: Homem que matou mulher asfixiada é preso por feminicídio em Belford Roxo

Brutalidade: Mulher tem faca cravada no pescoço e ferimento próximo ao coração em mais uma tentativa de feminicídio

A Polícia Civil alerta que os cigarros falsificados expõem a saúde do consumidor a risco muito maior do que os cigarros legais, uma vez que eles não passam pela análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), podendo conter em sua composição qualquer tipo de substância.