Cinco pacientes de covid-19 morrem em incêndio em hospital na Romênia

·2 minuto de leitura
O incêndio aconteceu no principal hospital de Bucareste, onde estão internados os pacientes com covid-19

Um incêndio no principal hospital de Bucareste, onde estão internados os pacientes com covid-19, deixou cinco mortos nesta sexta-feira (29) - anunciaram as autoridades romenas.

"Três pacientes foram encontrados mortos" pelos bombeiros e um quarto faleceu depois, declarou o secretário de Estado do Ministério do Interior, Raed Arafat, afirmando que todos eram pacientes com covid-19.

Depois, uma quinta vítima mortal foi encontrada no banheiro do hospital, acrescentou o ministro do Interior, Lucian.

"Cerca de 120 pacientes que estavam na mesma enfermaria foram evacuados", disse à AFP um porta-voz da instituição romena para situações de emergência (ISU), Bogdan Toma.

As causas do incêndio ainda são desconhecidas, disse ele.

Em 14 de novembro, dez pacientes de covid-19 morreram em um incêndio declarado no serviço de terapia intensiva do Hospital departamental de Piatra-Neamt.

Após o incêndio desta sexta-feira, familiares dos pacientes se reuniram na entrada do hospital exigindo respostas.

O presidente romeno, Klaus Iohannis, também foi ao hospital.

"É uma tragédia (...). Temos problemas estruturais nos hospitais romenos, pedi ao ministro da Saúde um plano de reformas", disse aos repórteres.

Romênia, um dos países mais pobres da Europa, sofre com infraestruturas em péssimo estado.

A tragédia do mês de novembro gerou a abertura de uma investigação oficial que ainda não foi concluída.

O país sofreu também outro incêndio anteriormente, em uma casa de festas da capital em outubro de 2015, que culminou em 64 mortes.

"A realidade é que a maioria de nossos hospitais sofre com uma falta de financiamento crônica, de compras não transparentes e de uma grande rede de improvisos", disse o ministro da Saúde, Vlad Voiculescu, no Facebook.

"Não podemos continuar assim, 6% do PIB foi para o sistema de saude no ano passado, mas apenas uma pequena parte foi parar em investimentos", admitiu o primeiro-ministro, Florin Citu.

O hospital Matei Bals é o principal centro de saúde contra doenças infecciosas da Romênia e também foi palco do início da campanha de vacinação contra a covid-19 em dezembro.

mr/ob/af/yow/tt/aa