Cine Brasilis: do cinema para a gastronomia, uma aula de reinvenção na pandemia

Paula Lacerda
·3 minuto de leitura

Sabe aquela turma que começou a fazer pão em casa na pandemia? Teve quem fez pão, quem fez queijo, geleia, cookie, defumado, massa de macarrão e molho... e colocou tudo em uma cesta para vender. Com os amigos do cinema - e agora, da gastronomia - Fernanda Colin, Leo Vasconcellos, Gab Marra, Altyr Pereira, Breno Furtado, Joana Eisenstadter e Dudu Pessoa, foi assim. Antes da Covid-19 se espalhar pelo mundo, Fernanda era continuísta, Leo, diretor de fotografia, Gab era figurinista, Altyr e Breno, técnicos de som, Dudu (marido da Joana), foquista. Mas, há sete meses, diante dos trabalhos interrompidos no setor, Fernanda e o marido Leo colocaram literamente a mão na massa e criaram uma padaria em casa. E levaram os amigos junto no projeto Cine Brasilis.

- Antes disso tudo começar, a gente ia começar a filmar "Grande Sertão: Veredas", do Guel Arraes. Mas os planos tiveram que mudar. O audiovisual e a cultura em geral pararam na pandemia. E a gente sempre gostou de cozinhar. Nosso melhor programa era abrir um vinho e ir pra cozinha - conta Fernanda, que criou a marca Fermento e Farinha para lançar no mercado seus pães de fermentaçao natural com farinha italiana, além de biscoitos, croks e, para o Natal, panetones.

Hoje, dentro da cesta da Cine Brasilis, vão o pão de Fernanda e Leo (@ferment0efarinha), massas e molhos da Gab (@missyoumacarrao), queijos e geleias do Altyr (@nossoterroir), defumados do Breno (@charcutariaporcoalado) e os cookies da Joana e Dudu (@nununanacookies). É Fernanda quem da marca do grupo. "Sou a contadora, a marqueteira, quem organiza as entregas, as redes sociais...", vai enumerando, para explicar o trabalho que se alonga pela semana inteira, com dois dias de fornadas e entregas de pães.

O processo caseiro, sem a climatização de um processo industrial, obriga a nova padeira a ser criativa e encontrar soluções. De ontem para hoje, por exemplo, para entregar os 50 panetones encomendados para o dia 18 (depois eles entram em recesso e só voltam dia 8), ela ficou na frente do forno até 3h da manhã. O plano anterior era acordar bem cedo no dia seguinte, para as fornadas, mas o excesso de calor fez Fernanda recalcular a rota. E assim ela vai, assando pão, panetone, cuidando dos dois filhos pequenos (de 5 e 8 anos) e planejando o retorno ao mundo do cinema sem abandonar a padaria.

- Recusei duas séries agora, pois não daria para conciliar tudo. Mas amo filmar e é claro que quando tiver uma oportunidade imperdível, vou aceitar. Mas tudo será planejado, preciso de tempo para passar a experiência, o aprendizado, as receitas para outra pessoa - explica.

O Rio Gastronomia é uma realização do jornal O GLOBO com apresentação do Senac RJ e do Sesc RJ, patrocínio master do Santander, patrocínio de Naturgy e Stella Artois, apoio do Gosto da Amazônia, Água Pouso Alto e Getnet, e parceria do SindRio.

As cestas da Cine Brasilis podem ser encomendadas pelo Instagram @ferment0efarinha ou pelo telefone (21) 99792-2921. R$ 270. A partir de janeiro, entrega às sextas-feiras, com saídas especiais nas quartas.