Cineasta alvo em operação da PF e do MPF em Niterói é diretor do filme 'Faroeste Caboclo'

Extra
·2 minuto de leitura

O cineasta René Sampaio, um dos alvos da Operação Transoceânica que mira o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, foi diretor do filme "Faroeste Caboclo", de 2013, e atualmente é diretor e produtor da série "Impuros", do canal Fox Premium, que também está disponível no Globoplay. O empresário ainda dirige o longa "Eduardo e Mônica", estrelado por Alice Braga e Gabriel Leone, que ainda não tem uma data de estreia prevista em decorrência da pandemia da Covid-19. A expectativa é de que o lançamento aconteça no início do ano que vem. O longa é mais um inspirado em uma música do Legião Urbana — Faroeste Caboclo foi o primeiro —, e levou prêmio de melhor filme estrangeiro no Festival de Edmonton de 2020.

Em recente entrevista ao GLOBO, em outubro, René Sampaio afirmou que faria um terceiro longa da trilogia Renato Russo. No entanto, disse que só revelará qual será a próxima música adaptada para as telonas depois que “Eduardo e Mônica” for lançado. Originalmente, a produção chegaria aos cinemas no dia dos namorados, em junho.

— Não quisemos exibir em festivais on-line com medo de acabar acontecendo alguma forma de pirataria. É uma obra feita para se ver junto com outras pessoas, dentro de uma sala de cinema, e ter aquela catarse coletiva. Tudo depende de como a pandemia irá se desenvolver — diz.produção chegaria aos cinemas no dia dos namorados, em junho.

Na manhã desta quarta-feira, dia 16, a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) deflagraram uma operação que mira o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves. Os agentes cumprem mandados de busca e apreensão referentes a supostas irregularidades nas obras da Transoceânica Charitas-Engenho do Mato, que ficou R$ 34 milhões mais cara do que o previsto, e contratos de publicidade firmados pelo governo municipal. René Sampaio é um dos 11 investigados, além de Neves, e teve seu sigilo telefônico, bancário e fiscal quebrados pelo MPF. Os mandados de busca de apreensão foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal (TRF) após autorização do desembargador federal Marcello Granado a pedido do procurador regional da República, Carlos Aguiar.