Cineasta Cadu Barcellos é morto a facadas no Centro do Rio

·1 minuto de leitura

O cineasta Cadu Barcellos, de 34 anos, foi morto a facadas no Centro do Rio, na madrugada desta quarta-feira. O crime aconteceu na Avenida Presidente Vargas, esquina com a Rua Uruguaiana.

Ele estava no local após deixar a Pedra do Sal, no Santo Cristo, com uma amiga, que seguia para a Zona Sul em um carro de aplicativo. O cineasta foi esfaqueado por volta das 3h30. Ele chegou a ser visto gritando por socorro, mas não resistiu, tendo morrido ao caminhar alguns metros e cair, segundo o G1. Policiais do 5º BPM (Praça da Harmonia) foram acionados, mas já o encontraram no chão.

O cineasta deixa a esposa e um filho de 2 anos.

O cineasta Carlos Eduardo Barcellos Sabino se destacou, entre outras produções, como diretor e argumentista do episódio "Deixa voar", que compõe o longa “Cinco vezes favela – Agora por nós mesmos”, de 2010, produzido por Carlos Diegues e Renata Almeida Magalhães. A obra foi escolhida para a Seleção Oficial do Festival de Cannes, no mesmo ano.

Cadu Barcellos também assinou direção e roteiro da série “Mais x favela”, de 2011, do canal a cabo Multishow, e integrou a equipe do documentário “5x Pacificação”, de 2012.

Atualmente, era assistente de direção no Porta dos Fundos, no programa “Greg News”, na HBO.

Atento ao dia a dia da favela, foi o criador do Maré Vive e promovia, desde os 17 anos, cursos de internet e audiovisual em diversas ONGs do Rio.

Como dançarino, participou do Corpo de Dança da Maré dirigido pelo coreógrafo Ivaldo Bertazzo, por 3 anos, com espetáculos que rodaram o país, no qual atuava e dançava.